Voo da Passaredo que parte de São paulo chega mais cedo a Dourados a partir de abril

Voo da Passaredo que parte de São paulo chega mais cedo a Dourados a partir de abril

 

passaredo_voo_cg (16)

Passaredo opera um voo diário de ida e volta entre Dourados e São Paulo-Guarulhos. (Foto: A. Frota/Assecom).

Dênes de Azevedo

A Passaredo Linhas Aéreas fez uma pequena alteração na chegado do voo entre São Paulo (Guarulhos) e Dourados. A partir do dia 1º de abril o voo 2346 passará a operar com partida de Guarulhos às 22h05, pousando em Dourados as 23h30 (local), portanto, meia hora mais cedo.

A Passaredo opera a frequência de chegada, de domingo à sexta-feira, entre Dourados e São Paulo. O voo de retorno é o 2347, que continua no mesmo horário, decolando de Dourados às 4h e pousando em Guarulhos às 7h30, de segunda-feira a sábado.

Para os dias 27 e 28 de abril, por exemplo, é possível encontrar voo de ida e volta a São Paulo pela Passaredo por R$ 504,00. Se comprar pela TAM o mesmo voo, operado pela Passaredo, custa R$ 778,00.

No caso de Dourados, onde operam apenas duas companhias, Passaredo e Azul, é bom sempre pesquisar os voos com antecedência de no mínimo um mês. Como as aeronaves voam sempre lotadas quem comprar antes paga menos, preços inclusive semelhante a ônibus.

 

Azul

A Azul também fará alterações nos seus horários de voos a partir de abril. Dos três voos diários ficarão apenas dois. O corte e ajuste de voos ocorrem em todo o Brasil, em função da crise econômica no Brasil.

Em Dourados provavelmente o voo da madrugada, que parte às 3h30, deve ser transferido para o início da manhã e o da tarde, que parte às 14h, decolaria mais para o final da tarde. O voo das 18h30 será retirado.

A Azul está remanejando aeronaves para a TAP, empresa portuguesa, da qual se tornou sócia majoritária no final do ano passado. O mercado aérea mais rentável na Europa está ganhando o foco de Devid Newman, o dono da Azul.

Em algumas cidades com baixa frequência a Azul deixará de operar no Brasil. A Gol também está em ajustes e vai fechar 17 bases em todo o país. A TAM e Avianca não abrem bases nova há algum tempo.

 

Aeroporto

A Prefeitura de Dourados aguarda o Estado emitir licença do aeroporto para que o Banco do Brasil possa licitar um projeto de R$ 40 milhões, cujos investimentos vão permitir a operação de aeronaves de maior porte. Isso pode atrair para a cidade Gol, TAM e Avianca, melhorando os acessos e condições de preços dos bilhetes.

Com a ampliação poderá operar aeronave categoria 4C, com 90% do peso máximo de decolagem. O Boeing 737-800, operado pela Gol, e o Airbus A-319, operado pela TAM, estão nessa categoria.

A previsão é de que o novo terminal de passageiros tenha 2.160 m², a pista de pouso e decolagem passa para 2.280 metros por 45 metros de largura. O pátio de aeronaves terá quatro posições para operação simultânea, será construída nova seção contra incêndio e instalado equipamentos modernos para operação por instrumentos.