Sindicato Rural de Dourados abre curso técnico em agropecuária

Sindicato Rural de Dourados abre curso técnico em agropecuária

 

escola agricola

Professores, coordenadores, diretores, presidente do Sindicato Rural e representante do governo na aula inaugural do curso técnico. (Foto: Marcos Santos).

O Sindicato Rural de Dourados oferece a partir deste ano o Curso Técnico em Agropecuária Integrado ao Ensino Médio pela Escola Estadual Professor José Pereira Lins. Esse curso era ministrado na Escola Municipal Padre André Capelli.

A solenidade e a aula inaugural aconteceu no dia 14 e reuniu estudantes, professores, coordenadores pedagógicos, diretores da escola, o presidente do Sindicato Rural de Dourados, Lúcia Damália e o representante da governadoria regional, Valdenir Machado. A palavra de ordem foi benefício que a parceria entre o governo estadual e o Sindicato Rural está garantindo para a formação de mão-de-obra capacitada para o campo.

As aulas teóricas acontecem nas salas da Escola Estadual Professor José Pereira Lins, mas toda parte prática está sendo ministrada no Parque de Exposições João Humberto de Carvalho, onde o Sindicato Rural de Dourados investiu recursos próprios para colocar tecnologia à disposição dos estudantes do ensino médio. “Estamos enfrentando o desafio de preparar esses jovens para atender a demanda por formação capacitada na empresa rural e com a tecnologia dinâmica que temos hoje o mercado exige profissionais cada vez mais atualizados para atender tanto o campo quanto a cidade”, ressalta Lúcio Damália.

O presidente do Sindicato Rural destacou que o convênio com a Escola Estadual Professor José Pereira Lins para as aulas práticas do Curso Técnico em Agropecuária Integrado ao Ensino Médio não tem qualquer custo para a comunidade escolar. “Colocamos toda estrutura do Parque de Exposições, desde a área de fruticultura e horticultura, até o Projeto Fazendinha e setor de agropecuária para que os estudantes tivessem aulas práticas”, explica Damália.

Representando o governo do Estado na solenidade, Valdenir Machado lembrou aos jovens que eles estão tendo a oportunidade para transformar a vida deles para melhor através da educação. “Essa parceria entre governo do Estado e Sindicato Rural de Dourados vai preparar vocês para a vida, para o mercado de trabalho, portanto, aproveitem todo potencial que está sendo colocando à disposição de vocês para que cada aluno aqui presente possa ser o agente transformador do seu próprio destino”, ressaltou.

A diretora da Escola Estadual Professor José Pereira Lins, professora Sandra Saldivar Oviedo, destacou a parceria com o Sindicato Rural de Dourados para as aulas práticas do curso, mas, também lembrou que os estudantes têm uma oportunidade única de superar as adversidades e garantir um futuro profissional. “Vocês vão encontrar ao longo do curso técnico professores que são especialistas, mestres e até doutores que estão dispostos a compartilhar conhecimento, então aproveitem toda essa estrutura que está sendo oferecida”, enfatizou.

Como a Escola Estadual Professor José Pereira Lins é nova, não teria como oferecer formação prática aos alunos do curso técnico. “Com o espaço disponibilizado pelo Sindicato Rural os futuros técnicos agropecuários estão recebendo todos os ensinamentos necessários para chegar ao final do Ensino Médio preparados para o mercado de trabalho”, ressalta a diretora.

A engenheira agrônoma Elaine Munarim, coordenadora técnica do curso técnico, também enfatizou que sem o apoio do Sindicato Rural de Dourados seria difícil levar adiante o desafio de garantir uma formação sólida aos alunos. “São cerca de 70 jovens que recebem aulas práticas de horticultura, fruticultura, industrialização de alimentos, além de toda grade curricular da agricultura e pecuária, que ao final do curso estarão aptos para o mercado de trabalho”, explica.

Lúcio Damália voltou a destacar que a parceria com a escola estadual também foi possível graças ao apoio que o sindicato Rural de Dourados recebe da Federação da Agricultura e Pecuária de Mato Grosso do Sul (Famasul), através do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar). “Essa função social do sindicato é importante não apenas para a sociedade, mas, também, para a nossa entidade que acaba contribuindo com a formação profissional dos nossos jovens”, finaliza Damália.