Senai adquire equipamentos de ponta para atender demanda em manutenção industrial

Senai adquire equipamentos de ponta para atender demanda em manutenção industrial

 

 

senai-psmi

Termovisor, alinhador de polias e alinhador de eixos, farão parte do apoio à inspeção para atuar na manutenção preditiva das indústrias. (Foto: Divulgação).

No âmbito do PSMI (Programa Senai de Manutenção Industrial), um serviço criado para apoiar as indústrias na otimização dos processos de conservação do maquinário, o Senai adquiriu três novos equipamentos de ponta avaliados em R$ 89 mil. Trata-se de um termovisor, um alinhador de polias e um alinhador de eixos, que farão parte do apoio à inspeção para atuar na manutenção preditiva, ou seja, para predizer falhas e detectar mudanças no estado físico que exijam serviços de manutenção com a antecedência necessária para evitar quebras ou estragos maiores.

Segundo o coordenador do PSMI e de Normas e Legislações do Senai Empresa, Jeancarlos Lucietto, a finalidade é indicar as condições reais de funcionamento das máquinas com base em dados que informam o seu desgaste ou processo de degradação. “Muitas das empresas não possuem os equipamentos para essa função justamente pelo custo elevado e, por isso, o Senai realizou esse investimento. Na implantação do PSMI na indústria, serão criados procedimentos de manutenção e será necessária a utilização de tecnologia, sendo que os consultores do Senai vão até a indústria com os equipamentos para fazer esse trabalho”, afirmou, acrescentando que esse ano ainda há previsão de receber outros equipamentos, totalizando um investimento de R$ 500 mil.

Jeancarlos Lucietto explica que o termovisor, que teve um investimento de R$ 30 mil, é utilizado para análise termográfica e mede a diferença de temperatura das superfícies. Com isso, o equipamento diz se existe uma anormalidade com base na emissão de calor pelas máquinas e equipamentos. Já o alinhador de eixos, que custou R$ 50 mil, identifica problemas nos alinhamentos dos eixos de acomplamentos, bombas, motores e máquinas de indústrias no geral e, por meio desse equipamento, é possível fazer o ajuste, eliminando desgaste, além de minimizar a quebra, enquanto o alinhador de polias, que custou R$ 9 mil, também tem a mesma função, mas voltado para polias e correias para evitar desgaste.

O coordenador do PSMI detalha que o Programa tem quatro fases: diagnóstico, implantação, análise de dados e resultados e assessoria para a tomada de decisão. No caso da fase de diagnóstico, os especialistas do Senai analisam os fluxos de informação e os ativos da empresa relacionados à manutenção, enquanto na fase implantação o Senai apoia a indústria na aplicação de técnicas que possibilitam maior controle sobre a manutenção dos ativos e gestão de pessoal.

Já na fase de análise de dados e resultados o Senai possibilita que a indústria utilize para a gestão dos processos de manutenção o SenaiMan, um sistema de planejamento e controle disponibilizado na Internet. Na última fase, que trata da assessoria para a tomada de decisão, o gestor industrial tem a segurança de decidir qual o melhor caminho para o desenvolvimento e melhoria dos processos internos relacionados à manutenção. (Da Assessoria do Funai).