Refis Pandemia oferece descontos para quitar dívidas geradas até o meio do ano

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email
Share on print
Print
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email
Share on print

Dívidas relacionadas ao Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) e ao Imposto sobre a Transmissão Causa Mortis e Doação (ITCD) que serão quitadas dentro do Refis da Pandemia.

Diferente do Refis comum – relativo a débitos de ICMS ocorridos até dezembro de 2018 – o da pandemia abrange dívidas geradas até 31 de julho deste ano.

O projeto de lei que trata do programa de recuperação fiscal foi enviado pelo Governo do Estado à Assembleia Legislativa na semana passada e aguarda aprovação dos deputados para começar a funcionar.

Pela proposta, dívidas de multas aplicadas pelo Procon, Iagro e Imasul também serão negociadas. Se aprovado o projeto, a adesão ao Refis Pandemia deve ser feita até o dia 23 deste mês, de acordo com o texto.

De acordo com o governador Reinaldo Azambuja, a nova medida foi pensada para atender os contribuintes que sofreram com débitos atrasados, devido a pandemia. Isso, principalmente, por causa da “dificuldade financeira decorrente da situação de emergência em saúde causada pelo novo coronavírus (Covid-19), que impactou negativamente na situação econômica-financeira das empresas”.

Com o novo projeto, os contribuintes que pagarem débitos à vista obter desconto de até 95% em multas e juros. Já aqueles que dividirem entre duas e 20 parcelas precisarão reduzir de 75%, ou os que preferirem quitar a dívida entre 21 a 60 parcelas, reduzirão de 60%.

Aqueles que foram punidos por descumprimento de obrigações acessórias de ICMS, será concedida a redução de 90% da multa; 70% para as opções entre duas a 20 parcelas e entre 21 a 60 cotas mensais, desconto de 50%.

O desconto para pagamento de multas à vista, pode chegar a 95%, de duas a 20 parcelas 75% de redução e entre 21 e 48 parcelas, desconto de 60%.