POLO INDUSTRIAL DA CAPITAL É 100% ASFALTADO ENQUANTO O DE DOURADOS CONTINUA ESQUECIDO

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email
Share on print
Print
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email
Share on print

 

 

distrito industrial de dourados
Núcleo Industrial de Dourados, que caminha à míngua, inclusive com problemas básicos como falta de recuperação de ruas e tapa buracos. (Foto: João Pires/Estado Notícias).

Dênes de Azevedo

 

O Governo do Estado anunciou com pompa na semana passada o início da obra para a conclusão da pavimentação asfáltica do Polo Industrial Norte de Campo Grande. “Vai ser o primeiro polo empresarial 100% pavimentado no Estado e isso é bom porque estimula a geração de emprego, a competitividade entre as empresas e cumpre uma promessa que realizamos. Ela será feita com recursos próprios do Governo”, disse o governador Reinaldo Azambuja (PSDB) durante a solenidade de assinatura. Nesta etapa de obras serão mais 1,4 quilômetros de drenagem e asfalto.

Enquanto isso, nenhuma obra no Núcleo Industrial de Dourados, que caminha à míngua, inclusive com problemas básicos como falta de recuperação de ruas e tapa buracos. Desde o inicio da gestão Reinaldo tem anunciado investimentos em Dourados, mas tudo segue no mesmo ritmo dos ex-governadores Zeca do PT e André Puccinelli. Na prática nada acontece. Em abril, Azambuja voltou anunciar um investimento de R$ 11 milhões no Núcleo. “Para que o Núcleo possa receber empresas”, disse ele. Mas até agora, passados mais 4 meses, nada de projeto.

No caso de Campo Grande, o Estado considera o asfaltamento do polo como obra emblemática. “Além de asfaltar todo o Polo Industrial estamos cumprindo uma promessa e acredito que ela se tornará um modelo para os demais polos do Estado”, afirma o secretário de Estado de Infraestrutura, Marcelo Miglioli.

Com 40 empresas de economia diversificada, que vai da fabricação de tijolos, passando por alimentos e confecção, o polo, chamado Miguel Letteriello, gera cerca de 1.500 empregos.

Já o Núcleo Industrial de Dourados, localizado a 12 quilômetros do centro da cidade, tem hoje 12 empresas instaladas, que geram pelo menos 3.000 empregos diretos, o dobro do polo de Campo Grande. Com as ampliações BRF (abate e processamento de frangos) e Bunge (esmagadora de soja) serão ampliados o número de empregos.

A “novela” núcleo industrial de Dourados dura anos. Durante os 16 anos de mandatos dos ex-governadores Zeca do PT e André Puccinelli não se realizou nenhum investimento no núcleo, a não ser o recapeamento da MS-156, que liga o trevo da BR-163, conhecido como Trevo do DOF, até a entrada do núcleo, feita por André.