MS quer ampliar possibilidades de negócios com a República Tcheca

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email
Share on print
Print
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email
Share on print

Durante o Seminário Mato Grosso do Sul-República Tcheca, realizado nesta terça-feira (22/03), no Edifício Casa da Indústria, em Campo Grande (MS), a chefe de gabinete da Presidência da Fiems, Tassiara Camatti, destacou que o encontro serve para estabelecer parceria e buscar iniciativas para trazer o desenvolvimento de ponta, permitindo que empresários possam se desenvolver e exportar seus produtos e estar ativos nesse mercado.

Setor industrial do Estado e os principais segmentos estratégicos estudam a ampliação dos negócios com a República Tcheca
Setor industrial do Estado e os principais segmentos estratégicos estudam a ampliação dos negócios com a República Tcheca

“Buscamos parceria para crescimento e patamares de competir no mercado e se desenvolver e precisamos desse know-how para incrementar”, falou, destacando que o evento foi uma parceria com a Semade (Secretaria Estadual de Meio Ambiente e Desenvolvimento Econômico), Consulado-Geral da República Tcheca no Brasil e Embaixada da República Tcheca no País.

Tassiara Camatti apresentou o panorama do setor industrial do Estado e os principais segmentos estratégicos, como o frigorífico, responsável por um abate médio de 4 milhões de bovinos, o de açúcar e álcool, com 10 municípios entre as maiores áreas cultivadas de cana-de-açúcar, e o de celulose e papel, que teve investimentos de R$ 15 bilhões nos últimos anos.

O secretário estadual de Meio Ambiente e Desenvolvimento Econômico, Jaime Verruck, lembrou que o vínculo com a República Tcheca é cultural com o Estado na fundação das cidades de Batayporã e Bataguassu e que hoje quer transformar essa relação cultural em uma relação de negócios. “Identificamos que a República Tcheca é uma país de nicho, nós estamos falando de tecnologia, produtos hospitalares, tecnologia na área hídrica fundamental para o Estado na parte de controle ambiental. Esse é um novo caminho para Mato Grosso do Sul, que está acostumado a tratar com grandes players na área de commodities e agora nós vamos trabalhar com empresas menores, mas com alta tecnologia”, pontuou.

O secretário-adjunto da Semade (Secretaria Estadual de Meio Ambiente e Desenvolvimento Econômico), Ricardo Sena, falou sobre as oportunidades de Mato Grosso do Sul. “Do ponto de vista da indústria ficam claros quais são os setores e interesses, então vamos focar nas propostas de discussão dos projetos portadores de futuro, com foco na riqueza, na biodiversidade, nos recursos naturais. Ainda na área de meio ambiente um dos principais interesses são os investimentos em energias renováveis não só pelo Pantanal, o serrado e a mata atlântica, mas, principalmente, porque a energia renovável é o futuro”, falou.

Tchecos

A cônsul-geral da República Tcheca em São Paulo, Pavla Havrlikova, disse que o objetivo do encontro foi apresentar as possibilidades dos dois setores da indústria e aproximar os países nas áreas comerciais de saúde e meio ambiente. “A República Tcheca oferece oportunidades porque se encontra em posição estratégica no centro da Europa, além de ter um mercado de 10 milhões de consumidores”, comentou.

Já o conselheiro-econômico da Embaixada da República Tcheca em Brasília, Filip Kanda, falou sobre o crescimento econômico do país europeu e apresentou as empresas mais importantes do setor hospitalar, como Medin, Linet, Patron e Ego Zlin. “A mão de obra é qualificada com ensino técnico, centros de pesquisa em universidades, parques tecnológicos. Somos um país industrial com economia aberta e integrantes da União Europeia”, disse.

Marek Zmrzlik, da agência de promoção comercial da República Tcheca, falou sobre os serviços da Czech Trade, que fornece uma vasta gama de apoio para negócios e serviços de networking. “O objetivo é fornecer informações aos fabricantes tchecos, sobre produtos da República Tcheca e promover cooperação entre empresas tchecas e estrangeiras”, afirmou.

Martin Hošťák, representante do Grupo Linet no Brasil, disse que a empresa de produção de leitos é conhecida pelo empreendedorismo e design. “Temos foco nas soluções para o paciente recuperar mais rápida e também para aa eficiência e automomia da vida da enfermeira e por isso ganhamos mercado, sempre queremos trazer inovação”, explicou.

O cônsul-honorário da República Tcheca em Batayporã e representante da Brasil CZ Produtos Científicos, Evandro Trachta, apresentou as quatro empresas do setor de biossegurança, entre elas, a Holik, especializada em luvas e botas, Lanex, produção de cordas especiais, Oritest, proteção química de uso militar e civil e a Ego Zlín, solução de isolamento total e barreiras de contenção. “Buscamos parceiros brasileiros para colocar os produtos no mercado. Estamos abertos para os que querem conhecer e levar produtos nossos, e também para levar produtos brasileiros a República Tcheca”, completou.

Empresários

Na avaliação da gerente do CIN (Centro Internacional de Negócios) da Fiems, Fernanda Barbeta, embora Mato Grosso do Sul ainda não tenha um fluxo grande de comércio com a República Tcheca, essa é uma oportunidade de estreitar esse relacionamento. “Buscamos fazer com que os empresários saibam um pouco mais do país e que a gente possa fazer parceria, apresentando algumas empresas e uma sinergia entre os negócios desenvolvidos no Estado e na República Tcheca”, analisou.

O empresário Cézar Augusto Lisboa Pereira, da empresa Linguiças Guarânia, quer ampliar a empresa. “Nossa empresa não está nesse nível de negociação com outros países, pois dependemos de barreiras sanitárias, mas procuramos ampliar nossa empresa dentro do padrão e assim teremos condições de fazer negociações com outros países”, disse.

Na opinião do empresário Alisson Alves Pinheiro, da empresa Truck Race, o encontro foi positivo. “Buscamos a parte de oficina e exportação de peças, queremos expandir nosso mercado e viemos aqui hoje ver como funciona o processo de exportação. Trabalhamos muito com caminhões da Volvo, que tem um forte mercado da Europa, então acreditamos que a República Tcheca seja uma oportunidade de investimento”, falou.

Já a empresária Ana Helena Mattos, da Anna Mattos Cosméticos, trabalha com cosméticos sustentáveis com bioativos do cerrado e pretende expandir seus negócios. “Trabalhamos com materiais que só tem aqui, então vemos com bons olhos os negócios internacionais de exportação, e com certeza depois desse encontro vamos gerar frutos”, finalizou.