Crise econômica afeta o turismo e gasto de brasileiros no exterior é o menor para abril desde 2009

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email
Share on print
Print
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email
Share on print

 

torre eifel
A Europa é um destino muito procurado pelos brasileiros. Na foto a Torre Eifel, em París. (Foto: Divulgação).

Os gastos de brasileiros no exterior somaram US$ 1,07 bilhão em abril, informou o Banco Central nesta terça-feira (24). Esse é o menor valor para o mês desde 2009, quando as despesas somaram US$ 770 milhões. Em abril do ano passado, esses gastos somaram US$ 1,64 bilhão.

De janeiro a abril deste ano, os gastos dos brasileiros lá fora somaram US$ 4,048 bilhões. Houve queda na comparação com o mesmo período do ano passado, quando as despesas no exterior somaram US$ 6,876 bilhões.

A queda de despesas de brasileiros no exterior acontece em um momento de dólar relativamente alto, frente aos últimos anos, e também de recessão da economia brasileira.

A crise econômica aumenta o desemprego e diminui a renda das famílias. Também contribuem para redução dos gastos no exterior a alta da inflação e o elevado nível de endividamento das famílias.

Já a moeda norte-americana mais alta encarece passagens e hotéis, além dos produtos comprados lá fora.

A valorização do dólar também aumenta despesas com cartões de crédito e débito no exterior – que sofrem ainda a incidência do Imposto Sobre Operações Financeiras (IOF) de 6,38%.

Em abril, o dólar recuou 4,34% e, em 2016, acumula queda de 12,86%. Ainda assim, no patamar em que encerrou em abril, a US$ 3,44, a moeda americana está em patamar relativamente alto frente aos últimos anos.

 

HISTÓRICO DE GASTOS

Entre 2010 e 2014, os gastos de brasileiros no exterior vinham subindo continuamente. Entretanto, no ano passado, com a alta de quase 50% do dólar, essas despesas caíram 32%.

Até 1994, quando foi criado o Plano Real para conter a hiperinflação no país, os gastos de brasileiros no exterior não tinham atingido a barreira dos US$ 2 bilhões (pela série histórica antiga). Mas, naquele ano, quando o real foi equiparado ao dólar, as despesas somaram US$ 2,23 bilhões. Entre 1996 e 1998, elas oscilaram entre US$ 4 bilhões e US$ 5,7 bilhões.

Com a maxidesvalorização cambial de 1999, o dólar ultrapassou os R$ 3 em um primeiro momento e as despesas lá fora também ficaram mais caras. O gasto voltou a recuar e, naquele ano, se aproximaram dos US$ 3 bilhões.

 

NO BRASIL

A alta do dólar, por outro lado, deixou mais barato para os estrangeiros viajar ao Brasil, e isso também se reflete nos números do setor externo divulgados pelo Banco Central.

De janeiro a abril, as despesas de estrangeiros no Brasil totalizaram US$ 2,320 bilhões, o que representa um aumento frente ao mesmo período de 2015 (US$ 2,081 bilhões).

Em abril deste ano, os moradores de outros países gastaram US$ 475 milhões no Brasil. Houve pequena queda frente ao mesmo período do ano passado (US$ 444 milhões). (Do G1).