Conselho Nacional defende turismo na pauta prioritária do país

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email
Share on print
Print
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email
Share on print

 

A abertura total das companhias aéreas para o capital estrangeiro é um dos pedidos. (Foto: Divulgação).
A abertura total das companhias aéreas para o capital estrangeiro é um dos pedidos. (Foto: Divulgação).

Integrantes do Conselho Nacional do Turismo (CNT) reunidos nesta segunda-feira (06), em Itupeva (SP), aprovaram o documento a ser entregue aos presidenciáveis com as principais reivindicações do setor. A publicação, que será entregue aos candidatos, apresenta o potencial de geração de empregos e renda do turismo para o Brasil.

Entre as medidas propostas pelo Conselho estão a modernização da Embratur, com a transformação em Serviço Social Autônomo, a isenção do imposto de importação para equipamentos de parques temáticos, a abertura total das companhias aéreas para o capital estrangeiro, entre outras.

“O setor de turismo e viagens reúne as melhores condições de liderar um novo ciclo de desenvolvimento do Brasil”, comentou o ministro do Turismo, Vinicius Lummertz. Ele sustentou que o país tem a maior diferença no mundo entre o realizado e o potencial e é preciso garantir segurança jurídica para atrair e reter investimentos nacionais e internacionais.

MOVIMENTO – Durante a reunião foi apresentado o movimento “Turismo: nosso trabalho gera empregos” que será trabalhado por todo o setor de viagens para sensibilizar a sociedade para a importância do turismo para alavancar a economia brasileira e contribuir para o desenvolvimento do país. Serão disponibilizadas peças publicitárias para os interessados em utilizá-las em suas empresas.

Ainda foram apresentadas as boas práticas de gestão implementadas em Porto Seguro e como é o funcionamento do fundo de investimentos do governo mexicano que permitiu o desenvolvimento de Cancun. A península de pouco mais de 20 quilômetros injeta, na economia mexicana, mais de US$ 12 bilhões por meio do turismo internacional. O valor é o dobro do arrecadado por todo o Brasil, com mais de 7 mil quilômetros de litoral.  

Os conselheiros também foram informados sobre parceria assinada entre o Ministério do Turismo, Embratur e Sebrae. A representante do Sebrae Ana Clévia destacou que o trabalho prevê a elaboração de um portfólio de oportunidades para atrair investidores, além de oferecer uma consultoria para os interessados em acessar os R$ 5 bilhões em crédito do Prodetur + Turismo e ajudar na promoção dos destinos por meio de press trips que contemplem a imprensa tradicional e influenciadores digitais.

O conselheiro Mário Carlos Beni sugeriu uma moção de apoio ao ministro Vinicius Lummertz – que foi aprovada por unanimidade – pelo diálogo com o trade e reformulação do Prodetur. Na ocasião foi lido um texto a ser apresentado à Presidência da República que pede a redução da alíquota do Risco Ambiental de Trabalho de um ponto percentual para o setor, por conta de distorções hoje existentes.