CHUVA AJUDA A CONTROLAR FOCOS DE QUEIMADA NO PANTANAL

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email
Share on print
Print
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email
Share on print

pantanal queimadas

Chuva que caiu na região do Pantanal de Corumbá, entre a noite de terça-feira e a madrugada de ontem (27), contribiu para reduzir o número de focos de calor no Município, que teve registros de incêndios florestais nos últimos dias.

De acordo com informações do Governo do Estado, a queimada mais intensa foi na região do Porto da Manga, no Pantanal da Nhecolândia, e foi controlada pela brigada do PrevFogo do Ibama e o Corpo de Bombeiros, com a contribuição da garoa que caiu na madrugada.

Conforme o gerente estadual do PrevFogo, Bruno Águeda, foi feito um trabalho de mais de quatro dias para o combate as chamas e equipes trabalhavam no rescaldo, quando a chuva caiu e contribuiu para que os focos perdessem força.

“Choveu pouco, mas praticamente em todo o Pantanal”, disse Luciano Leite, presidente do Sindicato Rural de Corumbá

INCÊNDIO FLORESTAL

O Porto da Manga fica situado na MS-228, rodovia que integra a Estrada-Parque do Pantanal, juntamente com a MS-184. O fogo se alastrou por toda a planície, entre a morraria do Urucum e o Rio Paraguai, de um lado, e a Estrada-Parque e a BR-262, do outro.

Foram queimados cerca de 1.600 hectares, segundo laudo pericial do Ibama. As causas estão sendo apuradas pelo órgão federal.

A preocupação era que o fogo chegasse até a comunidade ribeirinha, onde residem cerca de 200 pessoas, que vivem da pesca. O fogo chegou a cerca de 100 metros do vilarejo e os moradores conseguiram o apoio de maquinários de uma empreiteira para limpar a área em torno das casas de madeira construídas sobre palafitas.

No último dia de combate do fogo na Manga o Ibama contou também com o apoio logístico do Exército.