“Banho de São João” encanta em Corumbá, a capital do Pantanal, e atrai turistas de todo o Brasil

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email
Share on print
Print
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email
Share on print

 

corumba-Banho de São João. Fotos-Renê Carneiro-Prefeitura de Corumbá
Banho de São João na Festa Junina de Corumbá. Fotos: Renê Carneiro/Prefeitura de Corumbá).

As margens do rio Paraguai, que separa Corumbá (MS) da Bolívia, são o cenário para uma grande festa junina de Mato Grosso do Sul e de um dos festejos mais diferenciados do Brasil, o “Banho de São João”.

A festa, realizada na noite desta quinta-feira (23), remonta às origens de Corumbá e, pela sua singularidade, foi incorporada ao Patrimônio Imaterial de Mato Grosso do Sul. O evento torna-se ainda mais especial por estar inserido na capital do Pantanal, Corumbá, a maior região alagada do planeta, Patrimônio Natural da Humanidade reconhecido pela Unesco como reserva da biosfera.

A zona portuária de Corumbá, que já é protegida por lei, transforma-se em um grande arraial pantaneiro. Os cururueiros e suas violas de cocho, outro Patrimônio Imaterial de Mato Grosso do Sul, dão o toque musical à festa, que também recebe influência da cultura boliviana. Tradições do São João brasileiro como as quadrilhas juninas e comidas típicas fazem parte do arraial de Corumbá.

A parte religiosa, entre outros rituais, tem novenário em família e mastro da bandeira. Os mais de 100 “festeiros” de Corumbá capricham na decoração dos andores e altares domésticos. Seguindo a tradição, as mulheres cuidam dos quitutes juninos e os homens preparam a fogueira. A grande procissão de São João é precedida de pequenas procissões em torno das casas e em volta da fogueira. Algumas famílias mantém o banho caseiro onde a imagem de São João é batizada em tanques e cisternas.

Na noite de São João a população e turistas atraídos pela festa ocupam as ruas do Porto Geral. A descida da ladeira se transforma num ritual secular que inclui passar por baixo dos andores, caminhar descalço e banhar as dezenas de imagens conduzidas pelas famílias até as margens do Paraguai. Uma queima de fogos ilumina os céus de Corumbá anunciado a chegada do dia do santo que, segundo a Bíblia, teria batizado Jesus. Um dia para lavar a alma e festejar nas águas que simbolizam a vida da cidade e a imensidão do Pantanal.

 

corumba-Banho de São João. Fotos-Renê Carneiro-Prefeitura de Corumbá 1
festa junina de Corumbá pe uma das mais tradicionais do Esstado. (Fotos: Renê Carneiro/Prefeitura de Corumbá).

CORUMBÁ

Se suas férias coincidem com o Banho de São João de Corumbá reúna a família e os amigos.  A Fundação de Turismo do Pantanal dá algumas sugestões sobre atividades gratuitas e de baixo custo em Corumbá e no Pantanal. São dicas para quem está a passeio ou no intervalo de uma viagem de negócios:

– Caminhar pelo Porto Geral pela manhã ou no fim de tarde

– Visitar o Museu de História do Pantanal

– Visitar a exposição interativa Estação Natureza Pantanal

– Passear de barco pelo Rio Paraguai para contemplação do pôr do sol.

– Navegar e almoçar a bordo de uma chalana no Rio Paraguai.

– “Fazer” a Feira de Domingo da Rua Ladário

– Visitar o Mirante do Cristo Rei do Pantanal

– Um dia nas pousadas pantaneiras da Estrada Parque Pantanal ou nos Polos Turísticos de Albuquerque, Porto da Manga e Porto Morrinho.

 

Por Geraldo Gurgel, do MTur