Governo sorteará R$ 300 mil por mês para quem pedir CPF na nota

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email
Share on print
Print
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email
Share on print

Exigir o CPF nos cupons fiscais nas compras acima de R$ 1 a partir de janeiro de 2020 poderá valer dinheiro. A partir dessa data, cada nota terá oito dezenas para sorteio de R$ 300 mil em prêmios por mês. O secretário estadual de Fazenda, Felipe Mattos, detalhou nesta quinta-feira (19) como vai funcionar a ação que tem como pano de fundo a redução da sonegação de impostos.

Serão entregues R$ 100 mil para quem acertar seis das oito dezenas e R$ 200 mil serão divididos entre os que fizerem a quina.

Todos os cupons emitidos em janeiro concorrem pelo último sorteio da Mega-Sena de fevereiro. Para as notas das compras feitas em fevereiro, o sorteio será o último de março e assim sucessivamente.

Mattos explica que esse lapso com cerca de 30 dias é necessário para que o poder público possa contabilizar todos os números emitidos e organizar as finanças para bancar os prêmios, que não são acumulativos.

Estimativa da Sefaz é distribuir R$ 3 milhões somente ano que vem. Conforme o secretário, a diferença em relação aos demais estados que também têm promoções semelhantes é que Mato Grosso do Sul não exigirá cadastro prévio das notas para que o contribuinte participe. “Comprou, pediu CPF na nota, obteve as dezenas, estará concorrendo”, afirma.

Somente os ganhadores terão que entrar no site do órgão e preencher um formulário com dados pessoais, da nota fiscal e da conta bancária para depósito da quantia.

Emitir nota é obrigatório por lei. A ideia da ação do Governo é transformar os clientes em “fiscais” do poder público. Quando algum estabelecimento se recusar a emitir a nota, é possível denunciá-lo à Sefaz. Ano que vem será divulgado número de WhatsApp para o envio dessas informações.

O sistema do Governo já está preparado para gerar as oito dezenas. Porém, é possível que elas não apareçam nos cupons em um primeiro momento. As empresas terão 30 dias para atualizar os softwares das maquininhas de impressão. Até lá, a pessoa consulta os números de todas as compras feitas no site da Sefaz.

Não há metas de arrecadação com a medida. Porém, Mattos estima que a quantidade de notas com CPF saltará para 25%, a exemplo do que aconteceu com estados que também fazem promoções desse tipo.