Aneel proíbe corte de energia de 153,4 mil famílias de baixa renda em MS

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email
Share on print
Print
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email
Share on print

corte energia

A Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica) aprovou nesta terça-feira (21) conjunto de medidas para garantir a continuidade do serviço em meio à pandemia da covid-19. Entre as determinações está a proibição de corte de energia por falta de pagamento de famílias de baixa renda até o fim do ano.

Em Mato Grosso do Sul, de acordo com a Energisa, concessionária responsável pelo serviço na maior parte do Estado, são 153.485 famílias de baixa renda cadastradas, referentes ao mês de junho.

A medida também beneficia casas com pessoas que dependam de equipamentos elétricos essenciais à preservação da vida e unidades que deixaram de receber fatura impressa sem autorização do consumidor.

De acordo com a agência, a proibição de corte será válida enquanto durar o estado de emergência da pandemia.

Atualmente, o prazo vai até o fim do ano, porém a partir de 1o de agosto voltará a ser permitida a possibilidade de cortes de energia para consumidores residenciais que não pagaram a conta e relacionadas ao fornecimento de energia aos serviços e atividades considerados essenciais, desde que os consumidores sejam reavisados.

Nestes casos, a distribuidora deve enviar ao consumidor nova notificação sobre pendência de pagamentos, ainda que já tenha feito em período anterior.

A partir de 1º de agosto também estará autorizado atendimento presencial ao público e entrega mensal da fatura impressa.

Permanece proibido o procedimento de cancelamento da tarifa social de energia elétrica. O reinício será efetuado de acordo com o Ministério da Cidadania.