Embrapa Agropecuária Oeste reduz consumo de energia elétrica em 27%

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email
Share on print
Print
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email
Share on print
 Os dados de consumo de energia quando comparados o período de janeiro a agosto de 2016, com janeiro a agosto desse ano, revelam que houve uma redução de 27% no consumo em kWh. (Imagem: Divulgação).
Os dados de consumo de energia quando comparados o período de janeiro a agosto de 2016, com janeiro a agosto desse ano, revelam que houve uma redução de 27% no consumo em kWh. (Imagem: Divulgação).

Os Gestores da Embrapa Agropecuária Oeste, em conjunto com os Comitês de Gestão Ambiental (CIGA) e de Sustentabilidade (CLS), têm trabalhado ao longo de 2017, em campanhas de conscientização para a redução no consumo de energia elétrica. Os dados de consumo de energia quando comparados o período de janeiro a agosto de 2016, com janeiro a agosto desse ano, revelam que houve uma redução de 27% no consumo em kWh.

A campanha intitulada “consumo consciente” esteve pautada em anúncios eletrônicos, ações de comunicação interna e blitz realizadas na Unidade, com o objetivo de incentivar os usuários a combater o desperdício de energia elétrica. “As blitz foram feitas em relação a uso de ar condicionado e da iluminação de forma desnecessárias. Também foram feitas reavaliações de uso de casas de vegetação, com readequações que possibilitaram o desligamento de alguns equipamentos, tais como: exaustores, câmaras frias, entre outros”, explicou o supervisor do Setor de Gestão da Infraestrutura (SGI) e membro do Comitê Local de Sustentabilidade (CLS), Marno Miguel Schwingel.

A Chefe Adjunta de Administração da Unidade, Érica Alves da Silva Bonin, está satisfeita com os resultados obtidos e disse que continua contando com a colaboração dos colegas em relação ao consumo racional de energia elétrica. “Esse percentual de economia de 27% no consumo em kWh da Unidade vem num excelente momento em que toda a economia é bem-vinda além dos aspectos de sustentabilidade. Reconhecemos que houve um esforço de todos para alcançarmos esse resultado e esperamos avançar ainda mais em relação a esses índices, ampliando o compromisso individual com a economia de energia elétrica”, disse Érica. 

Ela explica ainda que com o início da primavera, e aumento da temperatura, o uso de ar condicionado se intensifica. “Sabemos que isso trará um reflexo no aumento do consumo de kWh, porém devemos continuar atentos no sentido de combatermos o desperdício”, destaca a gestora.  

“Fizemos um trabalho de reorganização do uso dos refrigeradores dos laboratórios, com o objetivo de concentrar amostras e reduzir os espaços ociosos. Em função desse trabalho, alguns refrigeradores foram desligados o que possibilitou a substituição dos mais antigos (que consomem mais energia) por mais modernos”, destacou o supervisor do Setor de Gestão de Laboratórios (SGL), Alex Sandro Vicentin Lima.

Outra informação importante é que o custo da energia elétrica no período de 17h30 às 20h30 (no horário de verão é das 18h30 às 21h30), considerado horários de pico, é 551,71% mais caro do que no restante do dia.