Usinas querem isenção do pagamento de ICMS sobre etanol no Estado

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email
Share on print
Print
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email
Share on print

etanol

A queda do petróleo junto à pandemia do Covid-19 segue apertando a margem do setor sucroalcooleiro e deve impactar o caixa do produtor rural. Diante do cenário de suspensão de contratos de trabalho e redução de produção, o Sindicato Rural de Campo Grande, Rochedo e Corguinho (SRCG), encaminhou documento ao Governo do Estado de Mato Grosso do Sul, sugerindo a isenção do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) do biocombustível.

“Essa isenção sobre o álcool dos postos de combustíveis seria uma forma de incentivo ao consumo, fato que tornaria o combustível mais atrativo nas bombas pelos sul-mato- grossenses. A solicitação se faz necessária para minimizar o impacto, nas usinas e nas cidades do interior, que tem agroindústria e cana plantada”, relata o presidente do SRCG, Alessandro Coelho.

Medidas – A Frente Parlamentar da Agropecuária (FPA) encaminhou ofício ao Ministério da Agricultura com algumas reivindicações a favor do setor, entre elas a criação de uma linha de crédito, na casa dos R$ 9 bilhões.

“A conta vai chegar. O que está acontecendo com a cana é diferente de todos os demais segmentos do agro. O preço da cana vai cair, afetando os produtores. Algumas usinas estão optando pela produção de açúcar, o que é estratégico, uma vez que os preços estão fixados até novembro, em um patamar estável. Junto com a alta do dólar isso ameniza os impactos. Lembro também que as destilarias vêm de dois anos com bons preços para o álcool”, sinaliza o gestor da TCH Gestão Agrícola, Júnior Trevelin, que estima queda no preço pago à cana-de-açúcar nos próximos meses devido a redução no consumo.