Usina de Naviraí retomará operação

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email
Share on print
Print
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email
Share on print

 

Usina Navirai (1)Da Redação

 

O Fundo de Investimento Carval, que recebeu em dívidas a Usinav (Usina de Açúcar e Álcool de Naviraí) anunciou ao prefeito da cidade, Leo Matos, a sua reativação. As contratações dos novos supervisores e líderes de área começam na próxima semana.

De acordo com o gerente da Casa do Trabalhador de Naviraí, Waldemar Gomes, os currículos para seleção podem ser entregues na sede da unidade situado, na Rua Jardim.

Segundo o gerente, a princípio os novos proprietários da usina estarão contratando supervisores e lideres de área, que montarão suas equipes para realizar a parte de manutenção da indústria. “Assim que ela estiver rodando em definitivo mais de 1.500 pessoas serão contratadas”, diz o gerente.

A indústria passará a se chamar de “Nova Usina de Naviraí”. O prefeito diz que a volta da empresa trará alivio aos moradores e aquecerá a encomia local. “Sofremos muito com o fechamento. Perdemos não apenas em geração de empregos, mas também na arrecadação”, afirma.

A unidade tem capacidade de processar 3,4 milhões de toneladas de cana-de-açúcar por safra.

 

HISTÓRIA

A Usinav pertencia a um grupo local de empresários e foi fundada na década de 1980, durante o programa Pro-Álcool, do Governo Federal.

Por último pertencia ao Grupo Bertim, que controla a Infinity Bio-Energy, que pediu falência com seis usinas e dívida acumula de R$ 2 bilhões.

O plano de recuperação judicial, homologado pelo juiz Paulo Furtado, foi desenvolvido pela consultoria EXM Partners e aprovado em assembleia em dia 29 de abril por credores que representavam mais de 80% dos valores devidos.

A usina de Naviraí e a Ibirálcool, em Ibirapuã (BA), ficaram sob controle dos credores Bradesco, Santander, HSBC e fundos de investimento Carval e Amerra, com os quais a Infinity tinha dívida de R$ 1 bilhão.

Agora o Fundo Carval, que ficou com a gestão da usina de Naviraí, começa a por em prática a sua reativação.