Terminal intermodal em Aparecida do Taboado dá competitividade à celulose de MS

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email
Share on print
Print
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email
Share on print

 

terminal-Fibria-em-Aparecida-do-Taboado-6-300x200
Terminal faz parte do complexo industrial da Fíbria, da região de três Lagoas. (Foto: Divulgação).

A instalação do terminal intermodal da Fibria no município de Aparecida do Taboado para o escoamento da produção da indústria instalada em Três Lagoas dá competitividade à celulose de Mato Grosso do Sul e serve modelo de alternativa logística para outros setores. A avaliação é do secretário de Meio Ambiente e Desenvolvimento Econômico, Jaime Verruck, que acompanhou o governador Reinaldo Azambuja nesta quarta-feira (9) no lançamento da pedra fundamental da obra.

“A Fibria buscou uma alternativa e fez um terminal exclusivo. Esse modelo logístico que foi apresentado hoje para a celulose de Mato Grosso do Sul é altamente competitivo e vai permitir próximas expansões, inclusive da própria Fibria. Ao se resolver a questão da logística, continuaremos com uma perspectiva de expansão para a celulose no Estado. Pensar a logística hoje é fundamental”, afirmou o secretário.

Ele lembrou, no entanto, que a necessidade de se encontrar uma solução alternativa para o escoamento da produção da região “só ocorreu devido ao descaso da própria Ferroeste. Se ela tivesse a capacidade de atender a Fibria, não seria necessário percorrer 100 quilômetros de rodovia, de Três Lagoas a Aparecida do Taboado, pra fazer essa operação. O fato de o governo federal e, principalmente a Rumo, não realizar os investimentos necessários na Ferroeste, culminou numa outra estrutura logística, mais competitiva. Mas precisamos avançar”, disse Jaime Verruck.

Com relação à questão da malha ferroviária, o governo do Estado também busca alternativas. Na próxima semana, o governador Reinaldo Azambuja e o secretário Jaime Verruck têm um encontro em Corumbá com representantes da Ferrovia Oriental, da Bolívia, para tratar do assunto.

 

Licença de Instalação

O secretário Jaime Verruck e o governador Reinaldo Azambuja entregaram a Licença de Instalação do terminal a Júlio César Rodrigues da Cunha, da Fibria

Durante o lançamento da obra do terminal intermodal da Fibria foi entregue a Licença de Instalação (LI) emitida pelo Instituto de Meio Ambiente de Mato Grosso do Sul (Imasul) que permite o início dos trabalhos em Aparecida do Taboado.  O documento foi entregue pelo governador Reinaldo Azambuja e o secretário Jaime Verruck ao diretor de engenharia do Projeto Horizonte 2 da Fibria, Júlio César Rodrigues da Cunha.

No ato de lançamento da obra, o prefeito de Aparecida do Taboado, Robinho Sâmara, destacou o empenho e a celeridade do governo do Estado na emissão dos licenciamentos ambientais. “Em 36 anos de vida pública, nunca vi tamanho desembaraço (do governo) para conceder as licenças”, afirmou.

 

Terminal Intermodal

A estrutura logística do terminal, que conjuga transporte rodoviário e ferroviário está prevista no investimento de R$ 7,7 bilhões da Fibria no complexo Horizonte 2, em Três Lagoas. O terminal vai atender o escoamento da produção de celulose dessa nova unidade até o Terminal de Macuco, no Porto de Santos (SP), de onde será exportada para a Ásia, Europa e Estados Unidos.

O terminal intermodal de Aparecida do Taboado vai integrar transportes rodoviário, ferroviário e portos. A área está localizada na rodovia BR 158, terá 63 mil metros quadrados e capacidade para escoar 1,95 milhões de toneladas de celulose por ano. Durante o período das obras serão geradas 220 vagas de emprego.