Estado habilita mais sete frigoríficos para exportar para o Egito e China

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email
Share on print
Print
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email
Share on print

A abertura para exportação de carne bovina e aves para o Egito e a China ajuda a manter a produtividade nas indústrias frigoríficas de Mato Grosso do Sul. A Organização Geral de Serviços Veterinários do Egito habilitou, a partir de 31 de março, 66 novos estabelecimentos brasileiros para exportarem carne bovina e de aves para o país do Oriente Médio. A relação contempla 39 frigoríficos de bovinos e 27 de aves, sendo 7 em Mato Grosso do Sul. 

Do total de plantas habilitadas no estado, 5 são de bovinos, nos municípios de Anastácio, Cassilândia, Iguatemi, Rochedo e São Gabriel do Oeste, e 2 de aves, em Caarapó e Itaquirai.
De acordo com dados do mapa (Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento), a Região Centro-Oeste foi a que obteve as maiores habilitações, com total de 20 plantas frigoríficas, sendo 16 de bovinos e 4 de aves.

O Egito é um importante comprador de proteína brasileira. No ano passado, foi o terceiro maior destino da nossa carne, sendo que importou de carne bovina 165,5 mil toneladas, totalizando US$ 48 milhões, e de aves 51 mil toneladas, com receita de US$67,9 milhões.

“Com a habilitação de novas plantas, aumentam as possibilidades de crescimento das exportações para esse país, o que aquece a produção no Mato Grosso do Sul. Num momento de contenção no mercado interno, a consolidação de mercados externos será fator importante para o equilíbrio do setor de proteínas no estado”, comenta a analista  técnica do Sistema Famasul, Fernanda de Oliveira.

Recentemente a China liberou também a habilitação da exportação de aves pela JBS de Dourados