Galassini diz na Câmara que viabilidade definiu Dourados

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email
Share on print
Print
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email
Share on print
camara-solenidade-coamo-reduz
Vereadores com o presidente da Coamo, José Aroldo Galassini. (Foto: Tiago Morais/CMD).

Ao agradecer pelo título de Amigo Honorário da Câmara Municipal de Dourados, que recebeu na noite desta segunda-feira, dia 05, o engenheiro agrônomo José Aroldo Galassini, presidente da Coamo Cooperativa Agroindustrial, disse que “quem escolheu Dourados para a implantação do complexo industrial de soja de R$ 650 milhões foi a viabilidade econômica”.

Em sessão solene, Galassini agradeceu muito aos vereadores pelo reconhecimento. Ele disse que ser amigo honorário é algo muito importante “porque parente você não escolhe, mas amigo você escolhe”. Galassini disse ainda que “é uma emoção receber a homenagem e que é um prazer estar em Mato Grosso do Sul”. Ele também fez um relato da história da Coamo e do investimento que a empresa fará em Dourados.

O presidente da Câmara, Idenor Machado (PSDB), expressou sentimento de gratidão pelos investimentos da Coamo em Dourados. Primeiro, em 2012, a cooperativa implantou uma unidade de recebimento de soja de grande porte. Agora vai investir R$ 650 milhões numa esmagadora de soja e uma indústria de refino de óleo de soja.

“Sua história de sucesso se funde à história de sucesso da Coamo”, disse Idenor a Galassini, justificando a homenagem. Idenor destacou a geração de emprego e renda e a segurança para a produção no campo com a nova estrutura de armazenamento e processamento dos grãos.

“A homenagem que fazemos hoje é mais do que justa”, disse Idenor no encerramento da sessão solene. “As pessoas perguntam: porque cresce, cresce? A resposta é: Porque trabalha, trabalha e honra seus compromissos”, afirmou o presidente. Ele também destacou o grande potencial agroindustrial de Dourados e a capacidade de acolhimento e amizade do seu povo.

Alguns vereadores se manifestaram na Tribuna sobre a homenagem. O vereador Raphael Matos (PMDB) lembrou da participação da missão de vereadores de Dourados na assembleia da Coamo quando foi aprovada a indústria em Dourados. Ele disse que a cooperativa tem muito a crescer em Dourados.

Madson Valente (DEM) destacou a importância do cooperativismo na promoção do desenvolvimento, lembrando que os países ricos tem essa atividade muito forte. “Não há outra saída para o Estado falido se não for por meio da cooperação”, disse.

O vereador Alberto Alves dos Santos, o Bebeto (PR) agradeceu à Coamo por contemplar Dourados com um grande investimento.

Já o vereador Sérgio Nogueira (PSDB), disse que Dourados, a maior cidade do interior do Estado, acolhe com muito carinho a Galassini e toda a sua equipe.

Para o vereador Elias Ishy, o investimento da Coamo significa desenvolvimento econômico para Dourados e região. Ele destacou a forma como a cooperativa leva a sustentabilidade a sério.

O vereador Alan Guedes (DEM) destacou a importância da presença da Coamo para ajudar a desenvolver Dourados num momento difícil para a economia do país. “Só a iniciativa privada para ajudar os Estados e Municípios a superar este momento”, disse.

O vereador Marcelo Mourão (PSD), presidente da Comissão Permanente de Indústria, Comércio e Turismo da Câmara, destacou ao elogiar o investimento que a cidade de Dourados permanece firme, planejada e organizada mesmo neste momento de crise. Agradeceu os servidores da Coamo pelo trabalho sério, que faz a empresa crescer ininterruptamente.

O vereador Pedro Pepa (DEM) disse que a Coamo também ganha ao escolher Dourados para instalar mais um indústria, já que o município tem um grande potencial a ser explorado. Falou ainda da igualdade com que o cooperativismo trata as pessoas. “Desde o maior até o mais simples todos são tratados com igualdade”, ressalta.

A Coamo vai construir um complexo industrial em Dourados, cuja pedra fundamental foi lançada nesta terça-feira, com a presença dos vereadores. O investimento previsto é de mais de R$ 650 milhões. Será uma esmagadora de soja e uma unidade de produção e envasamento de óleo de soja. A obra começa em janeiro, na BR-163, ao lado do Posto da Capela, na saída para Caarapó.