Bancos estendem financiamentos e garantias de veículos

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email
Share on print
Print
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email
Share on print

carros

Ainda em março, quando preocupações com os danos causados à economia com a pandemia do novo coronavírus (Covid-19) geraram um grande debate nacional, o CMN (Conselho Monetário Nacional) emitiu regras para que os bancos brasileiros suspendessem a cobrança de até duas prestações de financiamentos de imóveis e veículos por 60 dias, a fim de que o dinheiro fosse usado pela população para bancar suas necessidades básicas.

Algumas semanas depois, a medida levou à abertura de canais de comunicação e contou até com a adesão direta de montadoras, também estendendo a garantia dos veículos. Toda a negociação exige a manutenção da taxa de juros estipulada no contrato, mas com acréscimo do período extra do IOF (Imposto sobre Operações Financeiras) referente ao período. Também é preciso que o cliente esteja com as prestações em dia.

A medida não representa uma anistia, mas sim uma “reprogramação”: as parcelas que não forem pagas durante o decreto de calamidade pública decorrente da pandemia serão adiadas para o fim dos contratos de financiamento. Se o seu carnê previa parcelas até março de 2021, por exemplo, e você requisitou o adiamento do pagamento de duas parcelas, fará os pagamentos até maio do ano que vem.

No Itaú, o oferecimento da vantagem vai até 16 de maio. Informações podem ser obtidas pelos canais de teleatendimento (telefone 4002-0234 nas capitais e 0800-729-0234 para as demais cidades). No Bradesco, as ofertas são negociadas pelos telefones 4002-0022 (capitais e regiões metropolitanas) e 0800-570-0022 (demais cidades), sendo que havia a possibilidade de se tratar do tema também pelo aplicativo do banco.