MS aposta em solução para Lei Kandir e duplicação da BR-163

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email
Share on print
Print
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email
Share on print
acredita em solução favorável para compensação da Lei Kandir e duplicação da BR-163
acredita em solução favorável para compensação da Lei Kandir e duplicação da BR-163

 Depois de reforçar em Brasília (DF), ao longo desta semana, pautas consideradas essenciais para o crescimento de Mato Grosso do Sul, o governador Reinaldo Azambuja retorna ao Estado crendo em uma solução favorável para demandas relacionadas à Lei Kandir, à duplicação da BR-163 e à recuperação da Bacia do rio Taquari, apresentadas ao Governo Federal.

Junto a outros 11 governadores, o gestor sul-mato-grossense conseguiu no Supremo Tribunal Federal (STF) a garantia de intermediação do ministro Gilmar Mendes em busca de acordo com a União sobre a compensação de impostos da Lei Kandir, que isenta o pagamento de ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços) as exportações de produtos primários e semielaborados ou serviços.

Em audiência com o presidente do Tribunal de Contas da União (TCU), ministro José Múcio Monteiro, que contou com as presenças do ministro de Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, e dos governadores de Goiás e Mato Grosso, Ronaldo Caiado e Mauro Mendes, ficou definida uma força tarefa do Governo Federal para uma revisão contratual com a empresa concessionária da rodovia.O governante seguiu trabalhando em consonância com a bancada federal de Mato Grosso do Sul para assegurar a retomada das obras de duplicação da BR-163,  que estão sob a responsabilidade da CCR MSVia. A companhia assumiu administração da rodovia em 2014 com direito de exploração de pedágios em troca de investimentos na duplicação, que não foi concluída.

Reinaldo Azambuja conseguiu ainda a abonação do ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles para a recuperação da Bacia Hidrográfica do Rio Taquari, assoreada há mais de 40 anos, com grave dano ambiental ao Estado. Em reunião com o governador, Salles afirmou que é prioridade da pasta regenerar a região e disse que recursos de multas ambientais, já disponíveis em caixa, serão utilizados no projeto.

No Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), o governador obteve o empenho da União para acelerar processos de regularização fundiária e demarcação de terras indígenas.  Com os ministros Onyx Lorenzoni (Casa Civil) e Paulo Guedes (Economia), Reinaldo Azambuja deixou claro que a proposta de reforma da Previdência da União deve incluir interesses de estados e municípios.