CCR MSVia promove resgate de material vegetal em MS

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email
Share on print
Print
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email
Share on print

 

resgate de germoplasma 2 mini foto GEOTEC
Coleta de sementes nas margens da BR-163 em Mato Grosso do Sul. (Foto: Divulgação).

A CCR MSVia desenvolveu uma série de ações de resgate e transplante de material genético vegetal (germoplasma) de espécies localizadas nas áreas onde realizam obras de ampliação e duplicação da BR-163/MS. As ações integram o Programa de Proteção à Flora, definido pelo IBAMA (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis).

Segundo Michel Klaime Filho, responsável pela área de Meio Ambiente da Concessionária, o resgate de germoplasma e transplante de parte do material resgatado foi realizado através da coleta de sementes e mudas, tendo como foco mitigar a eventual perda da biodiversidade vegetal em função das obras de duplicação e melhoria da rodovia.

“Com essas ações, contribuímos para a conservação das espécies na própria região com a sua realocação para áreas que serão preservadas”, explica o engenheiro. “Além disso, estamos coletando material vegetal que foi acondicionado e encaminhado para herborização na Universidade Federal da Grande Dourados, UFGD, e no Instituto Florestal de São Paulo”.

O engenheiro explica que a herborização implica em coleta, prensagem, secagem e acondicionamento do exemplar vegetal em herbários para classificação científica.

As coletas foram realizadas em duas etapas, reunindo um total de 300 amostras vegetais, correspondentes a 156 espécies. Entre os indivíduos coletados estavam as espécies de araticum, peroba-do-campo, cambará, jacarandá, guavira, cereja-do-cerrado, maniçoba e baru, que é uma espécie que está ameaçada de extinção no Mato Grosso do Sul.

 

Bromélias

A ação da CCR MSVia envolveu, ainda, o resgate de orquídeas e bromélias localizadas no solo, nos caules e copas de árvores e sobre rochas. Logo após a sua identificação em campo, os indivíduos foram retirados e transportados diretamente ao local de transplante ou levados a viveiros conveniados, conforme o caso.

Michel Klaime Filho explica que o transplante ocorreu em área lindeira ao trecho das obras de duplicação da BR-163/MS, com presença de cobertura vegetal nativa e remanescentes contínuos.

“Ao todo, foram resgatados 37 indivíduos, distribuídos em duas espécies de orquídeas e uma espécie de bromélia”, informa o engenheiro, destacando que o trabalho continuará na medida em que avancem as obras de duplicação. “Nossa meta é resgatar germoplasmas em 100% das áreas onde serão realizadas a supressão, resgatando 70% das espécies consideradas protegidas, raras ou de interesse para pesquisa”.