Abastecer com gasolina ainda é mais vantajoso em MS

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email
Share on print
Print
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email
Share on print

Nos últimos cinco meses, o litro da gasolina em Mato Grosso do Sul apresentou elevação de 25,54%, ainda assim, é mais vantajoso para o consumidor continuar abastecendo com a gasolina. 

O litro da gasolina custa, em média, R$ 5,79 nos postos do Estado, de acordo com a pesquisa da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), sendo esse o maior preço médio já registrado na série histórica medida pela agência.

Conforme o economista Marcos Rezende, para saber qual o melhor combustível para o seu veículo é necessário ficar atento ao preço cobrado pelo litro da gasolina cobrado no litro do etanol.

“Os consumidores precisam analisar os valores entre gasolina e o álcool para saber qual se torna mais viável, porém, o álcool precisa de uma maior quantidade na queima para ter a mesma eficiência que a gasolina, mas acaba que a diferença de preço entre um e outro desperta atenção do consumidor”, afirma o economista.

De acordo com levantamento realizado de 23 a 29 de maio, o menor valor da gasolina encontrado no Estado foi R$ 5,53 e o litro mais caro é comercializado a R$ 6,19, enquanto na primeira semana de janeiro, o combustível  era vendido pelo preço médio de R$ 4,58, indo do mínimo de R$ 4,46 a R$ 4,77.

De janeiro a maio, o litro do combustível aumentou R$ 1,17. Já na comparação com o mesmo período do ano passado o aumento é de 47,43%. Na última semana de maio de 2020, a gasolina custava R$ 3,90 no Estado (entre 3,73 e R$ 4,69), ante os R$ 5,75 atuais.

No  início de fevereiro, o litro da gasolina era comercializado a R$ 4,88, passou a R$ 5,65 em março e a R$ 5,71 em abril.

Enquanto na última semana, o preço médio do etanol apresentou queda nos postos de Mato Grosso do Sul, de R$ 4,50 para R$ 4,40, com preço mínimo de R$ 3,95 e o máximo de R$ 5,02.

Para calcular qual opção será mais eficiente financeiramente, é necessário dividir o valor do etanol pelo valor da gasolina. Se o resultado for igual ou inferior a 0,7, é mais vantajoso abastecer com etanol, caso contrário, é mais vantajoso abastecer com gasolina.

Rezende destaca que alguns hábitos na hora de dirigir podem influenciar no consumo do combustível.

“Algumas pessoas têm mania de não trocar a marcha, o que aumenta o consumo e estraga o próprio veículo, não calibrar os pneus, acelerar de forma desnecessária, transportar muito peso, uso constante do ar-condicionado, são alguns fatores básicos que podem ajudar a diminuir o consumo”, ressalta. 

MUNICÍPIOS

Levantamento realizado semanalmente pela ANP aponta que o menor preço médio do litro da gasolina é encontrado em Campo Grande. Na semana passada, o combustível foi comercializado a R$ 5,68, variando entre R$ 5,53 e R$ 5,89.Em maio do ano passado, o combustível era vendido, em média, por R$ 3,81 na Capital, com valor mínimo de 3,75 e máximo de R$ 3,98.  

O maior valor praticado atualmente no Estado, conforme o levantamento da ANP, é em Corumbá, onde a gasolina ultrapassa R$ 6. O litro varia entre R$ 6,16 e R$ 6,19, média de R$ 6,17.

Em Dourados, o comustível fóssil custa, em média, R$ 5,90 e vai do preço mínimo de R$ 5,58 ao máximo de R$ 6,09.