Vendas do Dia dos Namorados devem cair 25% em Dourados

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email
Share on print
Print
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email
Share on print

dia-dos-namorados-eo-10

O Dia dos Namorados nos tempos de pandemia deverá derrubar em mais de 50% a movimentação de vendas nos comércios das cidades do interior. Mesmo com parte das lojas fechadas, temor de sair às ruas e de aglomerações os consumidores pretendem sim comprar um presente (90%).

Pelo menos é o que mostra a pesquisa de intenção de consumo e comemoração para o Dia dos Namorados, elaborada pela parceria entre o Instituto de Pesquisa e Desenvolvimento Fecomércio-MS (IPF-MS) e Sebrae-MS.

O levantamento ouviu 1.688 pessoas entre os dias 04 e 18 de maio e contempla os municípios de Bonito, Campo Grande, Corumbá/Ladário, Coxim, Dourados, Ponta Porã e Três Lagoas. O estudo mostrou que a solteirice aumentou também nos municípios do interior assim como a indefinição sobre o que comprar para o parceiro ou parceira.

Em Dourados é estimada uma movimentação de R$ 10,8 milhões neste ano, volume 25% inferior ao registrado no ano passado. Deste total R$ 7,78 milhões serão usados para presentes e R$ 3,02 milhões para gastos em comemorações Na cidade a maior parte dos consumidores que vão presentear são do sexo masculino com mais de 50 anos.

Em Três Lagoas a previsão é de R$ 4,9 milhões em negócios, com recuo de 40% no movimento em relação a 2019. A maior parte dos recursos serão destinados a compra de presentes R$ 3,2 milhões e outros R$ 1,66 milhões serão utilizados nas comemorações

Já na cidade de Corumbá são esperados R$.5 milhões em negócios sendo R$ 3,05 milhões nos gastos com mimos para os namorados e R$ 1,95 milhão em outras comemorações. No entanto, o número é 43% menor em relação ao mesmo período do ano passado.

Ponta Porã, na fronteira com o Paraguai tem previsão de gastar R$ 2,31 milhões , com queda de 54% diante de 2019. Do volume total R$ 1,66 milhões serão para presentes e R$ 649 mil serão destinados a comemorações.

Em Bonito, os negócios devem girar em torno de R$ 688 mil, sendo R$ 477 mil  presentes e R$ 211 mil em festejos. Na cidade a maioria dos compradores é do sexo feminino com idade variando de R$ 3 a 40 anos.