PREÇO DO CAFÉ SOBE 33% EM DOURADOS

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email
Share on print
Print
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email
Share on print

 

café-shutterstock_2
Preço do café subiu 33,48% no período de um ano em Dourados. (Foto: Shutterstock).

Dênes de Azevedo

 

Em um ano o consumidor morador em Dourados tem de desembolsar R$ 1,50 a mais ao levar para casa um pacote de café de 500 gramas. Isso pelo menor preço, sem levar em conta qualidade ou marca. Em julho de 2015 o menor preço era R$ 4,48. Já no dia 4 deste mês o menor preço era de R$ 5,98. Isso significa um aumento de 33,48% no período de um ano.

Os preços ao consumidor dispararam a partir do meio do ano passado, quando ficou clara a retração econômica do país e ainda com o estouro da crise política. O café é um dos produtos do café da manhã do brasileiro, que fica a cada dia mais caro. O preço do leite subiu ainda mais, 54% em um ano. Já o pão francês está congelado, mas deve sofrer reajuste depois da virada do mês.

O cálculo é feito com base na pesquisa da cesta básica feita mensalmente pelo Procon (Programa Municipal de Proteção e Defesa do Consumidor) em 10 supermercados da cidade. Neste mês julho de 2016 o menor preço era R$ 5,98 no Hyper Center São Francisco e o maior no Supermercado Big Bom, de R$ 7,09. A variação entre maior e menor preço foi de 18,56%.

Em julho do ano passado o pacote de 500 gramas de café custava R$ 4,48 no supermercado Cuenca (menor preço) e R$ 6,35 no São Francisco (maior). A variação ficou em 41,74%. Em janeiro desde ano o produto custava R$ 5,48 no Cuenca e R$ 6,98 no Extra Hiper. A variação era de 27,37%.

Com o avanço da crise e da inflação, o que tem provocado uma retração no consumo, observa-se uma menor variação entre o maior e menor preço. Isso indica uma maior preocupação dos supermercados no monitoramento de preços. Em julho do ano passado a variação verificada foi de 41,74%, em janeiro deste ano caiu para 27,37% e agora em julho caiu mais ainda ficando em 18,56%. Ou seja, a diferença entre os preços fica cada vez menor.

 

DIEESE

Já a pesquisa do DIEESE (Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos) deste mês verificou aumento no preço do café em 23 capitais brasileiras. O motivo foi o clima desfavorável que fez a produtividade do grão cair e consequentemente as negociações se tornaram mais lentas no mercado.

De acordo com a pesquisa, divulgada pelo Campograndenews, em Campo Grande, no Comper da Avenida Mato Grosso o menor preço do pacote de 500 gramas foi R$ 6,69 e a marca mais cara a R$ 8,89. No Walmart, o menor valor foi de R$ 6,98 e o maior a R$ 10,98. No Pague Poko, na Mata do Jacinto, os preços variaram entre R$ 7,79 e R$ 10,99. Já no Supermercado Campos, no bairro Carandá Bosque, a variação foi entre R$ 8,75 e R$ 11,49.

 

Leia também:

 

Preço do leite sobe 54% em 1 ano

https://www.indicadoreconomico.com.br/preco-do-leite-sobe-54-em-1-ano/

 

Preço do pão francês não terá reajuste nos próximos 30 dias

https://www.indicadoreconomico.com.br/preco-do-pao-frances-nao-tera-reajuste-nos-proximos-30-dias/