Pelo 6º mês consecutivo, MS tem a gasolina mais cara do Centro-Oeste

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email
Share on print
Print
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email
Share on print

gasolina cara

Mato Grosso do Sul registrou a gasolina e o etanol mais caros da região Centro-Oeste em setembro.

De acordo com o Índice de Preços Ticket Log (IPTL), o biocombustível chegou a seu maior preço desde fevereiro, enquanto o litro da gasolina é o mais caro da região desde abril.

Em setembro, o preço médio do litro da gasolina em MS é de R $ 4,73, e o do etanol, R $ 3,31.

Conforme o levantamento, no Centro-Oeste, o maior valor para a gasolina foi registrado em MS (R $ 4,73), na sequência vem Goiás, com média de R $ 4,62 por litro do combustível, Mato Grosso, onde a gasolina é comercializada a R $ 4,58, e Distrito Federal, cujo valor médio registrado foi de R $ 4,57 por litro de gasolina.

“A gasolina tem tendência de alta na região Centro-Oeste desde que a retomada de algumas atividades avançou no País. O anúncio mais recente da composição para o combustível também pode ter influenciado na relação de vantagem para o etanol em todos os estados ”, apontou Douglas Pina, diretor de Mercado da Edenred Brasil.

O levantamento aponta ainda que o Estado teve o quarto combustível mais caro do País, atrás apenas de Acre (R $ 5,13), Rio de Janeiro (R $ 4,92) e Pará (R $ 4,74).

De acordo com o diretor do Sindicato do Comércio Varejista de Combustíveis Automotivos (Sinpetro-MS), Edson Lazarotto, os pacotes são mais caros no interior do Estado por causa do frete.

“Quando os preços são pesquisados, eles levam em consideração os postos do interior, onde o [preço do] litro normalmente é diferente da Capital por conta dos encargos de frete, que impactam em até R $ 0,15 por litro, dependendo da distância . Hoje, por exemplo, em Campo Grande, onde se vende 40% do volume total do Estado, a média [de preço] da gasolina está entre R $ 4,25 e R $ 4,39, ea do etanol entre R $ 2, 99 e R $ 3,10 ”, disse o representante dos empresários.

Em abril, houve uma redução nos preços dos combustíveis em todo o País. No Estado, o preço médio da gasolina caiu de R $ 4,76, em março, para R $ 4,38, em abril.

Mesmo assim, os outros estados da região Centro-Oeste registraram preços menores no mês.

Mato Grosso registrava preço médio de R $ 4,28, em Goiás o litro era comercializado a R $ 4,12, e não Distrito Federal o médio era de R $ 3,88.

Desde então, o Estado registra a maior média de preços para o combustível entre os entes federativos do Centro-Oeste.

Lazarotto ainda ressaltou que a mudança na alíquota do etanol e da gasolina influenciou nos preços desde fevereiro, quando a mudança passou a valer.

No segundo mês do ano, o governo do Estado alterou o Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) sobre os combustíveis, relacionados ao índice de 25% para 20% sobre o etanol, enquanto o imposto sobre a gasolina aumentou de 25% para 30%.

“Nunca podemos esquecer que o ICMS da gasolina em nosso Estado é de 30%”, frisou o diretor.

Já compensa abastecer com etanol

Apesar de ainda ser o etanol mais caro do Centro-Oeste, a mudança na alíquota foi percebida no preço do biocombustível. Conforme a pesquisa da Ticket Log, o litro do etanol custava R $ 3,79 em fevereiro, R $ 0,48 a mais que o preço registrado em setembro (R $ 3,31).

Mesmo assim, o álcool de MS é o mais caro da região. No Distrito Federal, o preço médio é de R $ 3,26, em Goiás, R $ 2,94, e em Mato Grosso, R $ 2,88. Veja a pesquisa, com a gasolina a R $ 4,73 e o etanol a R $ 3,31, a diferença entre os pacotes chega a 69%, menor que o máximo indicado de 70%.

O biocombustível tem uma queima maior, sendo consumido mais rapidamente. Assim, com um litro de álcool, o motorista percorre uma quilometragem menor, se comparado à autonomia de um litro de gasolina.

O diesel segue sequência de alta e registrou seu maior valor em Mato Grosso, tanto para a versão comum quanto para o S-10. Os preços registrados no estado foram R $ 4.086 e R $ 4.062, respectivamente.

Os valores mais baratos foram encontrados em Goiás, apesar de ter fechado com aumentos bem expressivos em relação ao mês de agosto, 4,9% para o diesel e 4,8% para o diesel S-10.

Em Mato Grosso do Sul, o valor médio para o diesel comum foi de R $ 3,72 em setembro, para o diesel S-10 a média é de R $ 3,76.

Pesquisa da ANP está suspensa

O índice de preços de tarifas da Ticket Log é levantado com base nos abastecimentos realizados nos 18 mil postos credenciados.

O diretor do Sinpetro ressalta que o levantamento oficial dos preços dos direitos efetivos pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) e segue suspenso.

“As pesquisas da ANP estão paralisadas desde agosto, para lançar uma nova maneira de pesquisar postos e distribuidoras, e devem voltar no início de outubro”, destacou Lazarotto.

A última divulgação da ANP foi realizada no dia 22 de agosto. A previsão inicial era a de que uma pesquisa voltasse a ser publicada no dia 14 de setembro, mas o prazo foi postergado.