MS quer agilizar processo de importação e exportação com Paraguai e Bolívia

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email
Share on print
Print
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email
Share on print

Buscar alternativas para agilizar os processos de importação e exportação de Mato Grosso do Sul para Paraguai e Bolívia. O presidente da Fiems, Sérgio Longen, reuniu-se, nesta quarta-feira, no Edifício Casa da Indústria, em Campo Grande, com representantes da Receita Federal, Infraero, Semade e Superintendência Regional do Patrimônio Público da União para debater a temática. Ele reforçou que a intenção é planejar ações que melhorem as condições aduaneiras nos municípios do Estado na região de fronteira com os dois países.

“Nós esperamos um plano de melhorias para atender demanda de Ponta Porã, bem como finalizar, em parceria com a União, o processo para licitar uma área para manter um porto seco em funcionamento na cidade de Corumbá”, detalhou Sérgio Longen. Ele destacou também a importante da parceria com a Infraero e o Governo do Estado para que as empresas sejam atendidas. “É um trabalho fundamental, até porque o Brasil vive um momento importante da exportação e temos de incentivar esse movimento”, pontuou.

O presidente ainda lembrou a atuação do CIN (Centro Internacional de Negócios) da Fiems, que tem recebido muitas demandas. “Temos dado estrutura para o CIN e esperamos que as empresas de Mato Grosso do Sul se organizem para esse mercado de exportação dos nossos produtos”, afirmou.

Já o secretário estadual de Meio Ambiente e Desenvolvimento Econômico, Jaime Verruck, disse que o encontro foi de grande relevância, pois contou com a presença do superintendente da Receita Federal no Centro-Oeste, o que permitiu a discussão de vários pontos de atuação do órgão. “É grande a importância da Receita nessas operações no momento em que o País só tem a questão da exportação, então o órgão federal tem papel primordial e precisa de agilidade para que não percamos a exportação”, analisou.

exporta
Intenção é planejar ações que melhorem as condições aduaneiras nos municípios do Estado na região de fronteira com Paraguai e Bolívia

Além disso, ele destacou que a Receita já entrou com pedido de doação de área para implantar a aduana em Ponta Porã. “O Governo do Estado sinalizou positivamente na questão do apoio e, em contrapartida, a União faz a permuta de área com valor equivalente”, destacou.

Para o superintendente da Receita Federal no Centro-Oeste, José Oleskovicz, o encontro foi uma reunião prévia para tratar sobre o desembaraço nos processos de importação e exportação. “Já estamos tentando agilizar o processo, até porque o momento é oportuno por conta do dólar. Vamos tentar conseguir um espaço melhor em Ponta Porã. Além disso, estamos fazendo um estudo de viabilidade econômica de implantação de um porto seco em Campo Grande ou Três Lagoas”, revelou.

Também participaram da reunião a coordenadora do CIN da Fiems, Fernanda Barbeta, o gerente de negócios comerciais da Infraero no Estado, Richard Aldrini Fernandes Custódio, o secretário-adjunto da Sefaz, Jader Rieffe Julianelli Afonso, o delegado da Receita Federal em Campo Grande, Flávio de Barros Cunha, o superintendente regional do Patrimônio da União no Estado, Mário Sérgio Sobral Costa, entre outras autoridades.

Fiems