MS mais perto do status de área livre de aftosa sem vacinação

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email
Share on print
Print
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email
Share on print

Os avanços na erradicação da febre aftosa nos países da América do Sul foram apresentados durante a 43ª Reunião da Comissão Sul-Americana para a Luta Contra a Febre Aftosa (Cosalfa), em Punta Del Este, no Uruguai, entre os dias 4 a 8 de abril.  O evento contou com a participação do diretor executivo da Agência Estadual de Defesa Sanitária Animal e Vegetal (Iagro), Roberto Siqueira Bueno.

Em 2015, o rebanho bovino fechou em 20,65 milhões de cabeças, conforme o Iagro
Em 2015, o rebanho bovino fechou em 20,65 milhões de cabeças, conforme o Iagro

Foram discutidos por todos os países temas como: Metodologias para caracterização dos sistemas produtivos em uma zona ou país para a transição de status sanitário, Metodologias para caracterização de risco para Febre Aftosa, Sistemas de vigilância de Febre Aftosa na etapa final: Características e metodologias para sua evolução, Gestão de riscos para a redução da vulnerabilidade a Febre Aftosa, A importância dos aspectos econômicos no processo de transação de Zonas Livres de Febre Aftosa e Estratégias para implementação e seguimento do Guia Técnico para a etapa 2016-2020 do PHEFA.

Segundo o diretor executivo da Iagro, o objetivo principal do encontro foi analisar a situação atual do status sanitário do continente, em linha com os desafios do Plano de Ação 2011- 2020. O plano marca a entrada para a última fase, onde os principais desafios da sanidade devem ser tratados como uma prioridade. O plano se constitui em um passo importante para os países e até estados com análises epidemiológicas e metodologias para uma transição da condição de status sanitário. Hoje o Mato Grosso do Sul é considerado estado livre de febre aftosa com vacinação.

“Achei muito produtivo todos os assuntos discutidos e vejo que estamos entrando num período de transição de mudança de status, mas com muita cautela e responsabilidade”, ressaltou o diretor.

Ele enfatizou que a partir do segundo semestre o Mapa vai construir um plano analisando cada estado, cada região para estabelecer os novos circuitos pecuários e assim iniciar o período de transição para retirada da vacinação. “Temos que manter nosso sistema de vigilância atento a qualquer notificação demonstrando transparência nas nossas ações, até porque um sistema de vigilância que não tem suspeitas, passa a ser suspeito”, concluiu.

Sobre a Cosalfa

A Comissão Sul-Americana para a Luta Contra a Febre Aftosa (Cosalfa Nível Ministerial sobre o Controle de Febre Aftosa e Zoonoses (RICAZ V). Em fevereiro de 1973, foi realizada a primeira reunião da Cosalfa e desde então se realizaram 43 reuniões regulares e cinco sessões extraordinárias. O objetivo da Comissão é avaliar o progresso e recomendar ações para os programas nacionais de controle e erradicação da febre aftosa na América do Sul, garantindo a integração regional nas ações de intervenção.

Os 13 países nas Américas, que são membros da Cosalfa são: Argentina; Brasil; Bolívia; Chile; Colômbia; Equador; Guiana; Panamá, Paraguai; Peru; Suriname, Venezuela e Uruguai.

Notícias MS