Pequenos negócios geraram 90% das vagas de emprego em MS

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email
Share on print
Print
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email
Share on print

comercio

Micro e pequenas empresas de Mato Grosso do Sul foram responsáveis por quase 90% dos empregos gerados no Estado em julho, segundo dados do Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados), divulgados pelo Ministério da Economia. Foi a sexta vez no ano em que os pequenos negócios registraram saldo positivo na geração de postos de trabalho no Estado.

Conforme números do Caged compilados pelo Sebrae-MS (Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas em Mato Grosso do Sul), as microempresas criaram 1.061 vagas, contra 144 abertos por médias e grandes corporações –87% dos 1.206 novos postos de trabalho.

O Sebrae qualifica como pequeno negócio os microempreendedores individuais (que têm faturamento anual de até R$ 81 mil), microempresas (faturamento de até R$ 360 mil ao ano),
empresas de pequeno porte (faturamento de R$ 360 mil a R$ 4,8 milhões) e o pequeno produtor rural (de propriedades com até quatro módulos fiscais ou faturamento anual de até R$ 4,8 milhões).

Entre os pequenos negócios, coube ao comércio puxar a abertura de vagas: foram 406, seguido pelos serviços (235), agropecuária (207) e indústria de transformação (193), sendo que neste último as médias e grandes empresas fecharam julho com o fechamento de 47 vagas.

Entre janeiro e julho deste ano, dos 16.845 empregos gerados no Estado, 10.454 (ou 62%) couberam às micro e pequenas empresas, enquanto as médias e grandes responderam por 6.391. No mesmo período do ano passado, as micro e pequenas responderam por 7.772 postos de trabalho, contra 525 das maiores corporações.

Brasil – O Sebrae nacional, por sua vez, aponta que o movimento também ocorreu pelo país: foram 41,5 mil vagas abertas em julho por pequenas empresas, ou 95% das 43,8 mil formais com carteira assinada no período.

A região Centro-Oeste foi a segunda na abertura de postos de trabalho, com 6.732 vagas, contra 20.168 do Sudeste, que liderou.