Em Dourados alimentos sobem mais que inflação

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email
Share on print
Print
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email
Share on print

 

Dênes de Azevedo

 

O Indicador Econômico esmiuçou a pesquisa mais recente do Procon de Dourados, feita no dia 4 de maio, e a comparou, produto a produto, com a pesquisa do dia 4 de maio do ano passado. Em 12 meses os preços dos 28 produtos da cesta básica juntos subiram em média 19,84%, quase três vezes mais que inflação prevista para 2016, que é de 7,28%. Em média o consumidor gasta agora R$ 20,67 a mais que em maio passado para levar a mesma cesta de produtos para casa.

Cada vez que vai ao supermercado o consumidor é surpreendido com os preços dos produtos remarcados. Mas nunca faz as contas para saber o quanto está se pagando a mais pelos alimentos, produtos de limpeza e de higiene, num momento em que o Brasil vê a sua economia em derrocada e ainda convive e se assusta com o fantasma da inflação.

O Indicador Econômico esmiuçou a coleta de dados do Procon, feita em 10 dos supermercados de Dourados, incluindo atacado, dois hiper e mercados de bairro, e descobriu que a batata foi o alimento que mais teve preço majorado em um ano, passando de R$ 1,98 o quilo para R$ 4,42. O aumento é de R$ 2,44 no preço ou 123,3%.

Na faixa entre 50% e 100% de reajuste estão a cebola, cuja porção de 90g passou de R$ 1,99 para R$ 3,89, um aumento de R$ 1,90 ou 95,48%. O quilo do fubá subiu 65,9%, de R$ 1,38 para R$ 2,29 e o pacote de 5 quilos do açúcar 56,4%, de R$ 6,97 para R$ 10,90. Já para levar uma lata de 350ml de extrato de tomate para casa o consumidor terá de desembolsar R$ 0,40 a mais. Em maio do ano passado custava R$ 0,89 e agora é vendido a R$ 1,29, um aumento de 44,9%.

O Indicador Econômico fez o cálculo levando em conta o produto mais barato pesquisado pelo Procon entre os 10 supermercados. Para comprar nessa condição o consumidor deveria fazer compras em vários supermercados. Como geralmente o brasileiro não pesquisa e compra em um único mercado, no geral ele vai gastar bem mais que a média levantada. A pesquisa não leva em conta marca, nem qualidade ou rendimento de produto, simplesmente o produto mais barato.

Entre os produtos de limpeza o que mais apresentou alta em 12 meses foi o sabão em barra (pacote 5 unidades), que passou de R$ 2,99 para R$ 3,59, com um aumento de R$ 0,60 por pacote ou 20%. Já no caso dos produtos de higiene pessoal o papel higiênico (pacote de 4 unidades) subiu de R$ 1,10 para R$ 1,49. Aumento de R$ 0,39 ou 35,4%.

Entre os 10 supermercados pesquisados, 9 tiveram pesquisa repetida este ano. Entre eles o que apresentou menor variação de preço da cesta em 12 meses foi o Pérola: apenas 6,9% de reajuste na cesta pesquisada, que era vendida a R$ 105,13 em maio passado e agora a R$ 112,38. O que apresentou a maior variação foi o Abevê Shopping, que vendia a cesta a R$ 85,82 e agora a R$ 109,73. O reajuste é de 27,8%.

 

VARIAÇÃO

Variação da cesta de 28 produtos entre 9 supermercados que tiveram pesquisas repetidas em maio de 2015 e maio de 2016:

 

Abevê Shopping: R$ 85,82 (2015) – R$ 109,73 (2016). Diferença: R$ 23,91. Percentual: 27,8%

Big Bom: R$ 101,92 (2015) – R$ 130,11 (2016). Diferença: R$ 28,19. Percentual: 27,6%

Chama: R$ 97,87 (2015) – R$ 120,67 (2016). Diferença: R$ 22,80. Percentual: 23,3%

Atacadão: R$ 98,92 (2015) – R$ 121,34 (2016). Diferença: R$ 22,42. Percentual: 22,6%

Cuenca: R$ 110,93 (2015) – R$ 135,23 (2016). Diferença: R$ 24,30. Percentual: 21,9%

Mercado Paraná: R$117,76 (2015) – R$ 141,88 (2016). Diferença: R$ 24,12. Percentual: 20,48%

São Francisco: R$ 106,54 (2015) – R$ 122,72 (2016). Diferença: R$ 16,18. Percentual: 15,18%

Extra Hiper: R$ 132,05 (2015) – R$ 148,98 (2016). Diferença: R$ 16,93. Percentual: 12,8%

Pérola: R$ 105,13 (2015) – R$ 112,38 (2016). Diferença: 7,25. Percentual: 6,9%

 

PRODUTOS

Evolução dos preços dos produtos de maio de 2015 para maio de 2016, sempre pelo menor preço obtido na pesquisa do Procon em 10 supermercados de Dourados, não levando-se em conta marca, nem qualidade ou rendimento.

 

batata inglesa
Preço da batata subiu de R$ 1,98 para R$ 4,42.: aumento de R$ 2,44 ou 123,3%. (Foto: divulgação).

Batata (1 quilo): Subiu de R$ 1,98 para R$ 4,42. Aumento de R$ 2,44 ou 123,3%;

Cebola (90g): Subiu de R$ 1,99 para R$ 3,89. Aumento de R$ 1,90 ou 95,48%;

Fubá (1 quilo): Subiu de R$ 1,38 para R$ 2,29. Aumento de R$ 0,91 ou 65,9%;

Açúcar (5 quilos): subiu de R$ 6,97 para R$ 10,90. Aumento de R$ 3,93 ou 56,4%;

Extrato de tomate (350ml): Subiu de R$ 0,89 para R$ 1,29. Aumento de R$ 0,40 ou 44,9%;

Sal (1 quilo): Subiu de R$ 0,69 para R$ 0,95. Aumento de R$ 0,26 ou 37,6%;

Feijão (1 quilo): Subiu de R$ 1,89 para R$ 2,49. Aumento de R$ 0,60 ou 31,7%;

Arroz (5 quilos): subiu de R$ 7,99 para R$ 9,90. Aumento de R$ 1,91 ou 23,9%;

Margarina (500g): Subiu de R$ 1,39 para R$ 1,69. Aumento de R$ 0,30 ou 21,6%;

Óleo de soja (900ml): Subiu de R$ 2,59 para R$ 2,99. Aumento de R$ 0,40 ou 15,4%;

Ovos (dúzia): subiu de R$ 3,59 para R$ 3,95. Aumento de R$ 0,36 ou 10%;

Farinha de mandioca (1 quilo): subiu de R$ 3,15 para R$ 3,39. Aumento de R$ 0,24 ou 7,6%;

Carne bovina (paleta) – 1 quilo: Subiu de R$ 8,99 para R$ 9,59. Aumento de R$ 0,60 ou 6,6%;

Composto lácteo coma açúcar (400g): Subiu de R$ 2,28 para R$ 2,40. Aumento de R$ 0,12 ou 5,2%:

Macarrão (500g): Subiu de R$ 1,38 para R$ 1,49. Aumento de R$ 0,11 ou 4,8%;

Alho (200g): cai de R$ 2,79 para R$ 2,59. Redução de R$ 0,20 ou 7,7%;

Café (500g): Caiu de R$ 4,59 para R$ 4,29. Redução de R$ 0,30 ou 7%;

Goiabada (600g): Caiu de R$ 2,30 para R$ 2,19. Redução de 0,11 ou 5%;

Biscoito de Sal (400g): Se manteve a R$ 1,99;

Erva mate de tereré (500g): Se manteve a R$ 2,59;

Farinha de trigo (1 quilo): Se manteve a R$ 1,69.

 

Limpeza

sabao em barra
Pacote do sabão em barra subiu de R$ 2,99 para R$ 3,59.: aumento de R$ 0,60 ou 20%. (Foto: divulgação).

Sabão em barra (pacote 5 unidades). Subiu de R$ 2,99 para R$ 3,59. Aumento de R$ 0,60 ou 20%;

Água sanitária (1litro): Subiu de R$ 1,29 para R$ 1,49. Aumento de R$ 0,20 ou 15,5%;

Esponja de aço (unidade): subiu de R$ 0,79 para R$ 0,89. Aumento de R$ 0,10 ou 12,6%;

Sabão em pó (1 quilo): Subiu de R$ 3,79 para R$ 4,30. Aumento de R$ 0,51 ou 13,4%;

 

 

 

Higiene pessoal

Papel higiênico (pacote 4 unid): subiu de R$ 1,10 para R$ 1,49. Aumento de R$ 0,39 ou 35,4%;

Sabonete (90g): subiu de R$ 0,51 para R$ 0,69. Aumento de R$ 0,18 ou 35,3%.

Creme dental (90g): Se manteve a R$ 1,09.

papel-higienico-1_2210858
Pacote de papel higiênico subiu de R$ 1,10 para R$ 1,49: aumento de R$ 0,39 ou 35,4%. (Foto: Divulgação).