Cooperação para divulgar alfândega da Capital beneficia comércio exterior e eventos internacionais

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email
Share on print
Print
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email
Share on print

 

aeroporto-cg-672x372
Aeroporto de Campo Grande (Foto: Divulgação).

Oficializado pelo Governo do Estado em publicação no Diário Oficial de segunda-feira (15), o termo de cooperação técnica que visa divulgar os benefícios e ampliar a utilização da alfândega do terminal de Cargas do Aeroporto da Capital deve amparar diretamente o comércio exterior e a realização de grandes eventos internacionais.

O convênio celebrado entre a Secretaria de Meio Ambiente e Desenvolvimento Econômico, a Federação das Indústrias de Mato Grosso do Sul e a Infraero divulgará um meio que tornará mais competitiva e menos burocrática as operações de exportação e importação de produtos, garantindo também que parte da arrecadação permaneça em Mato Grosso do Sul.

O terminal alfandegário do Aeroporto Internacional de Campo Grande realiza as mesmas operações das aduanas presentes nos portos de Santos, Paranaguá, entre outros. A diferença está na agilidade: enquanto nas demais o processo pode durar cerca de duas semanas, na Capital o processo é finalizado em três dias.

“Trata-se de um serviço a mais para as empresas que importam e exportam, pois agora poderão fazer o desembaraço alfandegário mais ágil e prático, permitindo que os nossos produtos fiquem bem mais competitivos. Além dos custos ficarem menores e de as receitas ficarem no Estado, a outra vantagem para o empresário local é o tempo menor para regularização das suas mercadorias”, avalia o presidente da Federação das Indústrias de Mato Grosso do Sul, Sérgio Longen.

Além das importações e exportações, beneficiadas pelo atual quadro cambial brasileiro, o terminal alfandegado abre uma nova perspectiva para eventos internacionais em Mato Grosso do Sul. Dentre os favorecidos está a 7ª edição da Conferência Mundial de Incêndios Florestais, que será realizada em 2019 em Campo Grande.

“Isso só confirma que fizemos uma excelente escolha”, avaliou a Analista Ambiental do Ibama, Lara Steil, responsável pela organização da Conferência Mundial de Incêndios Florestais, a Wildfire, que reunirá na Capital cerca de 3 mil participantes participantes e equipamentos de última geração fabricados nos 80 países que integram as 14 Redes Regionais de Incêndios Florestais das Nações Unidas. (Governo do Estado/Semade).