Terra Boa é apresentado na 52ª edição da 52ª Expoagro

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email
Share on print
Print
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email
Share on print

 

terra boa-expoagro
Engenheiro agrônomo Rafael Geraldo de Oliveira Alves apresentou o programa de recuperação de pastagens. (Foto: Divulgação).

Inserida na programação da 52ª Expoagro – feira que reúne tecnologia, conhecimento, negócios e entretenimento realizada em Dourados – a apresentação do Programa Terra Boa, de recuperação de pastagens degradadas, foi realizada pelo engenheiro agrônomo Rafael Geraldo de Oliveira Alves, junto das palestras do Seminário de Bovinocultura do Leite, promovido pela Agência de Desenvolvimento Agrário e Extensão Rural (Agraer), na sexta-feira, dia 13.

Para um público diverso que reuniu de técnicos da Agraer a produtores e bovinocultores, Rafael destacou a importância da recuperação de dois milhões de hectares que o Estado colocou como meta dentro do Programa – para os próximos cinco anos – lembrando o compromisso voluntário do Brasil com a redução dos gases de efeito estufa, feito ainda em 2009, durante a Coop 15, que é o de recuperar 15 milhões de hectares.

Ao definir o programa como uma estratégia governamental, o engenheiro agrônomo encontrou semelhanças do ‘Terra Boa’ com os investimentos realizados em pesquisa há 40 anos, considerando como sendo algo que deve trazer grandes ganhos para o Estado e para o País a médio e longo prazo. Segundo Rafael, há ainda a convergência das duas estratégias que ocorre quando o programa sugere a aplicação de tecnologias como Integração lavoura-pecuária e lavoura-pecuária-floresta, na recuperação dessas pastagens.

Sobre o incentivo fiscal a ser concedido aos participantes, Rafael explicou que este será equivalente à isenção de 33,34% do valor do ICMS sobre a produção de grãos ou da produção incremental de bovinos provenientes da área a ser recuperada. Para ele, ganha o Estado e o produtor, pois a produção do Estado será ampliada.

Atualmente, o programa passa pela fase de organização da mobilização para capacitação dos técnicos das redes pública e privada e mobilização esensibilização dos produtores, que se dará através de parceria com as mais diversas instituições e órgãos.

O engenheiro comentou ainda que as melhorias na infraestrutura e logística de armazenamento do Estado para melhorar o escoamento da produção são ações que estão no planejamento do Governo do Estado e acontecem simultaneamente a execução das próximas etapas do programa.

Podem participar do programa os produtores rurais que possuem áreas com pastagens degradadas em todo o Estado, com exceção das unidades produtivas que apresentem restrições de intervenção previstas Zoneamento Ecológico-Econômico de Estado de Mato Grosso do Sul – ZEE/MS.

Para explicar as etapas para inscrição da propriedade, do responsável técnico e do projeto, Rafael apresentou a pagina do ‘Programa Terra Boa’ criada dentro do site da Secretaria de Produção e Agricultura Familiar (Sepaf) para este fim. No endereço é possível obter todas as informações para participar. (Da assessora da Sepaf e Iagro).