Sustentabilidade e rastreabilidade vão destacar novilho precoce

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email
Share on print
Print
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email
Share on print

 

jaime verruck
Jaime Verruck diz que o Precoce MS é fundamental para o desenvolvimento da pecuária. (Foto: Divulgação).

O investimento em práticas sustentáveis, rastreabilidade e divulgação vão fazer com que a carne de novilho precoce produzida em Mato Grosso do Sul conquiste definitivamente seu espaço no mercado mundial. Essa é a avaliação feita pelo secretário de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar, Jaime Verruck, após participar do 9º Seminário Técnico Novilho Precoce MS, realizado pela Associação Sul-Mato-Grossense de Produtores de Novilho Precoce (ASPNP), em Bonito, na sexta-feira (21).

Jaime Verruck acompanhou o governador Reinaldo Azambuja no evento, que aconteceu poucos dias após o lançamento do Precoce MS, programa coordenado pela Secretaria de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar (Semagro), com a participação da ASPNP, dentre outros órgãos. “O Precoce MS é fundamental para o desenvolvimento da pecuária sul-mato-grossense, auxiliando na produção de uma carne cada vez mais competitiva e de qualidade”, afirmou o secretário.

Os números apresentados pela Associação durante o evento, “demonstram a dimensão do programa”, afirmou Jaime Verruck. A entidade conta com 352 associados e um rebanho com pouco mais de 1 milhão de animais, distribuído em 1.220.000 hectares, em 468 fazendas no Estado. Em 2016, foram 177 mil cabeças abatidas em 2016, operacionalizados em parcerias comerciais com o Carrefour, Walmart e JBS.

De acordo com o secretário, o papel do governo do Estado, por meio da Semagro, é garantir a continuidade do programa e atingir as metas estabelecidas para 2017. “Já estamos com mais de 10 mil matrizes abatidas no Precoce MS e nossa meta é chegar aos 80 mil abates até o final deste ano.

O próximo passo é trabalhar na divulgação do Precoce MS para o mundo, mostrando que temos uma carne de qualidade, rastreada e sustentável. A WWF tem feito um trabalho em parceria com a Associação, mostrando exatamente, que essas propriedades, têm de ser sustentáveis. É esse produto que vai atender os mercados mais exigentes do mundo”, disse o secretário.