Sindicato e Senar formam mais nove técnicos em agronegócio

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email
Share on print
Print
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email
Share on print

 

Lúcio Damália fala a formandos do curso de técnico em agronegócio, sexta à noite no Sindicato Rural. (Foto: Divulgação).
Lúcio Damália fala a formandos do curso de técnico em agronegócio, sexta à noite no Sindicato Rural. (Foto: Divulgação).

O Sindicato Rural de Dourados e o Senar/MS (Serviço Nacional de Aprendizagem Rural) realizaram na sexta-feira (29) mais uma colação de grau do curso técnico de nível médio em agronegócio. Mais nove pessoas que iniciaram o curso em 2015 concluíram os estudos e receberam o certificado do curso que garante registro no Crea (Conselho Regional de Arquitetura e Agronomia).

Os certificados foram entregues pelo presidente do Sindicato Rural, Lúcio Damália, pelo diretor-técnico do Senar/MS Renato Roscoe, por Ivanete Alves Nunes representando a Secretaria Municipal de Educação, pelo vereador Silas Sanata representando a prefeita Délia Razuk e pelo vereador Idenor Machado, representando a Câmara de Dourados.

Ao discursar na abertura da solenidade, Lúcio Damália destacou o importante papel do agronegócio no país e disse que os técnicos que estão sendo formados pelo Senar e Sindicato Rural contribuem para o desenvolvimento “de um setor cada vez mais tecnificado, onde não tem espaço para amadorismo”. Segundo ele, o curso ajuda a suprir a necessidade de mão de obra qualificada para atender a agropecuária.

Renato Roscoe lembrou que os técnicos estão capacitados para atuar nas cadeias produtivas da agropecuária nacional, com registro o Crea. “O agro não é para amadores, exige cada vez mais tecnologia e conhecimento. Nada melhor que a formação para garantir a mão de obra qualificada”.

Ele parabenizou os alunos pelo esforço para concluir no curso e lembrou do TCC (Trabalho de Conclusão de Curso). “Foi fácil né?”, brincou. “Mas muito bom se formarem e se qualificarem”.

Roscoe informou que em 2016, através da parceria do Senar/MS com o Sindicato Rural de Dourados, 1.800 pessoas foram qualificadas em 160 turmas. Neste ano já foram 1.200 qualificados em 115 turmas. “São pessoas qualificadas para os desafios que o agro exige e nós precisamos disso, porque ato Grosso do Sul cresce enquanto o país encolhe MS, porque temos o agro pujante”.

Segundo ele, MS aumentou em dois milhões de hectares a área plantada de soja, cana e florestas, com a transformação de pastagens em lavouras. “Mesmo assim a produção de carne aumentou 2% porque o agro é cada vez mais tecnificado”. Renato Roscoe encerrou homenageando a inserção das mulheres no setor produtivo. Dos nove formando, seis são mulheres.

O coordenador técnico do Sindicato Rural, Carlos Flores, o Carlão, foi homenageado pela turma. Ele recebeu uma placa pelo apoio aos alunos durante o curso, inclusive cozinhando para os estudantes.

O curso técnico em agronegócio tem 80% da carga de aula à distância e 20% das aulas são presenciais, nos polos de apoio, que em Dourados funciona no Sindicato Rural. O curso tem 1.2330 horas/aula e dura quatro semestres. Atualmente, pelo menos 60 alunos estão fazendo o curso.