Sindicato Rural de Dourados sedia curso de produção de olerícolas

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email
Share on print
Print
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email
Share on print

 

Curso sobre cultivo protegido começou nesta terça-feira e segue até quinta. (Foto: Divulgação).
Curso sobre cultivo protegido começou nesta terça-feira e segue até quinta. (Foto: Divulgação).

Começou nesta terça-feira (25), no Parque de Exposições João Humberto de Andrade Carvalho, o curso sobre planejamento de produção e cultivo protegido de olerícolas, categoria que inclui hortaliças como abóbora, alface, berinjela, tomate e frutas como melancia, melão e morango.

Com programação até quinta-feira, dia 27, o curso é realizado em parceria entre o Sindicato Rural de Dourados, o Senar MS, a UFGD, o CNPH (Centro Nacional de Pesquisa de Hortaliças) e a Embrapa Agropecuária Oeste.

A abertura do curso foi feita pelo presidente do Sindicato Rural, Lúcio Damália, pelo superintendente do Senar MS Lucas Galvan, pelo chefe-geral da Embrapa Agropecuária Oeste Guilherme Asmus e representantes dos demais órgãos envolvidos na organização, como a Sead (Secretaria Especial de Agricultura Familiar e do Desenvolvimento Agrário), do governo federal.

Lúcio Damália destacou a importância das parcerias que o Sindicato Rural de Dourados tem feito para garantir a qualificação de mão-de-obra através do Projeto Fazendinha e lembrou que a maioria dos cursos, como esse que começou nesta terça, é voltada para o pequeno agricultor.

Segundo o presidente, o cultivo protegido de olerícolas foi tema de um dia de campo durante a 53ª Expoagro, realizada em maio deste ano. O interesse foi tão grande que o Sindicato Rural recebeu pedidos para trazer o módulo completo do curso.

Guilherme Asmus afirmou que o cultivo dos chamados hortifruti é a “bola da vez” como alternativa à pecuária e ao plantio de grãos em Mato Grosso do Sul. “Mato Grosso do Sul tem um espaço enorme que pode ser ocupado pela produção de olerícolas”, afirmou.

Lucas Galvan destacou a importância da parceria do Senar MS com o Sindicato Rural de Dourados e disse que o Projeto Fazendinha virou vitrine para outros municípios sul-mato-grossenses.

A primeira palestra ocorreu na manhã desta terça-feira, em uma das salas de aula do Sindicato Rural. O instrutor Ítalo Moraes Rocha Guedes, do CNPH, falou sobre cultivo protegido de hortaliças.

No período da tarde teve a palestra sobre nutrição de hortaliças, com Juscimar da Silva, também do CNPH. O público-alvo do curso são técnicos de campo de entidades e órgãos governamentais, como Agraer, Senar, Sebrae e prefeitura.

Na quarta-feira, dia 26, tem palestra sobre manejo de doenças em cultivo protegido, com Margarida Fumiko Ito, do IAC (Instituto Agronômico de Campinas) e visita a campo ao Projeto Fazendinha.

Na quinta-feira (26), último dia do curso, Antônio Dantas Júnior, da Emater (Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Distrito Federal), vai abordar o planejamento da produção.