Recursos do FCO serão divulgados para 42 municípios do Estado

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email
Share on print
Print
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email
Share on print

pecuaria1

Com mais de R$ 2 bilhões disponíveis para financiamento do Fundo Constitucional do Centro-Oeste (FCO) em Mato Grosso do Sul, sendo R$ 1 bilhão para o setor empresarial e R$ 1 bilhão para o setor rural, o Banco do Brasil realiza neste mês ações de divulgação do fundo. A instituição fará reuniões em 42 municípios para seus clientes e interessados em conhecer a linha de crédito.

Os eventos começaram hoje em Cassilândia e se estendem para outros 41 municípios do Estado. Em Campo Grande a ação acontece no dia 19 de março, a partir das 19h30, no auditório do Sebrae.

O evento da Capital vai contar com uma apresentação do banco sobre a linha de crédito e fala da Semagro , que preside o CEIF/FCO (Conselho Estadual de Investimentos Financiáveis pelo FCO).

“Hoje o FCO faz o papel de fomento às culturas no Estado. Tem auxiliado a promover o desenvolvimento e a expansão dos setores produtivos, principalmente a suinocultura e avicultura. Na pecuária e agricultura, os recursos têm possibilitado a aquisição de máquinas e no empresarial, a abertura e ampliação de novos negócios”, explica o secretário Jaime Verruck que é presidente do CEIF.

O Banco do Brasil está realizando ações para ampliar a divulgação do FCO empresarial. Todos os clientes do banco com limite de crédito para contratação de FCO acima de R$ 50 mil foram contatados para conhecer os benefícios da linha de financiamento. A demanda do setor empresarial segue boa, mas abaixo do ritmo do segundo semestre de 2019.

“Além de aquecer a economia na região, os recursos da linha FCO geram emprego e renda para a população, promovendo o desenvolvimento econômico e social da região Centro-Oeste. As agências do BB estão de portas abertas para receber empreendedores e suas novas propostas de custeio e investimento”, assinala Sandro Jacobsen Grando, superintendente do Banco do Brasil no Mato Grosso do Sul.