Preço do milho sobe 83 por cento em MS e prejudica confinamento de bovinos, suínos e aves

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email
Share on print
Print
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email
Share on print

 

milho em grao-mapa-divulgacao
A saca de milho custava em março média de R$ 38,57, enquanto que no mesmo período do ano passado era comercializada em média a R$ 21,08. Isso significa um acréscimo superior a R$ 17 por saca. (Foto: Mapa-Divulgação).

Em apenas um ano, o preço do milho negociado em Mato Grosso do Sul subiu 83%. O patamar elevado do valor do grão prejudica o setor de confinamento bovino, considerando que a ração bovina é 70% composta por este grão. O custo de produção será abordado no Confinar 2016 –  um dos principais eventos sobre pecuária de corte do país, que está em sua 5a edição, onde e serão abordados temas relacionados ao atual cenário econômico e as mais recentes tecnologias aplicadas à pecuária de corte, que acontecerá nos dias 31 de maio e 1º de junho no Centro de Convenções Rubens Gil de Camillo, promovido pela Beef Tec.

O valor do grão apresentou em março uma média de R$ 38,57 a saca, enquanto que no mesmo período do ano passado, a saca valia, em média, R$ 21,08. Isso significa um acréscimo superior a R$ 17 por saca. “O valor acaba comprometendo o poder aquisitivo do produtor rural, principalmente àquele que trabalha mais no sistema de confinamento”, salienta o economista, Luiz Gama.

O preço do boi gordo no mesmo comparativo caiu 1,24%, saindo de R$ 138,86  a arroba para R$ 137,13. Apesar de ser uma queda aparentemente pouco expressiva, a conclusão é que o produtor está gastando mais e ganhando menos. Para o especialista, a explicação para a queda no preço do boi gordo está associada à demanda do produto no mercado interno, influenciada pela recessãoda economia “É a lei da oferta e da demanda. A procura diminuiu e a oferta tende ao equilíbrio”.

Considerando os preços relacionados acima, a relação de troca entre a arroba do boi gordo e a saca de milho atual é 3,61 sc/@, patamar que é 45,2% menor que a relação de troca apresentada há doze meses, quando era possível ao confinador comprar 6,59 sacas de milho ao preço de uma arroba. Mato Grosso do Sul ocupa o quarto lugar no ranking nacional de bovinos confinados, com 671,8 mil cabeças de gado registradas em 2016.

De acordo com a reportagem divulgado pelo Estadão, a alta dos preços domésticos pode levar a uma queda no número de bovinos confinados este ano, segundo o diretor-presidente da MinervaFoods, Fernando Galletti de Queiroz. “Menos produtores estão se preparando pra colocar gado em confinamento; o cenário passa a ser mais um mercado de clima”, afirmou.

Queiroz acredita que a atual conjuntura econômica vai refletir na disponibilidade de animais prontos para o abate, bastante restrita atualmente. “O que estamos vendo este ano é uma volta à antiga forma do mercado em que há concentrações em determinados período de tempo”, disse.

Sobre o evento

O Confinar 2016, um dos principais eventos sobre pecuária de corte do país, está em sua  5ª edição.   O objetivo principal é fornecer ao pecuarista uma série de novas informações por intermédio das opiniões dos melhores analistas e dos dados dos principais pesquisadores do setor para aumentar a rentabilidade do negócio. Serão abordados temas relacionados ao atual cenário econômico e as mais recentes tecnologias aplicadas à pecuária. Dias 31 de maio e 01 de junho no Centro de Convenções Arquiteto Rubens Gil de Camillo, Campo Grande MS.