MS tem produção recorde de soja

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email
Share on print
Print
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email
Share on print

 

soja-safra-2015-640x372
2,5 milhões de hectares foram plantados com lavoura de soja em Mato Grosso do Sul. (Foto: Divulgação).

Mato Grosso do Sul atingiu produção de 7,6 milhões de toneladas de soja na safra 2015/2016, de acordo com levantamento realizado pelos técnicos do Siga MS (Sistema de Informação Geográfica do Agronegócio), ferramenta desenvolvida pela Aprosoja/MS (Associação dos Produtores de Soja de Mato Grosso do Sul). As informações foram divulgadas nesta segunda-feira (18).

O aumento na produção do grão nesta safra é de aproximadamente 9,4% em relação ao ciclo passado, o que dá ao Estado nova safra recorde. Em relação à produtividade ponderada final, a média alcançada é de 50,5 sc/ha (sacas por hectare).

Dos 2,5 milhões de hectares de lavouras de soja plantadas no Estado, 2,2 milhões de hectares, ou seja, 92% da área total, foram visitados continuamente pelos técnicos da Aprosoja/MS durante todo o ciclo. As informações colhidas nesses levantamentos deram origem às circulares da Casa Rural. Na Circular Técnica n° 154, divulgada hoje, constam os números finais da safra de soja.

O resultado final é positivo, no entanto, caso as condições climáticas tivessem sido mais favoráveis, a produção total de Mato Grosso do Sul poderia ter atingido 8 milhões de toneladas (8.081.895 quilos) do grão, considerando a área total plantado.

Considerando somente a área colhida nos municípios acompanhados pelo Siga MS, a produtividade média de Mato Grosso do Sul foi de 53,8 sc/ha. Só na região sudeste/sudoeste, que representa 72% da área plantada de Mato Grosso do Sul, a produtividade média foi de 54,3 sc/ha.

 

PERDAS

No entanto, alguns municípios apresentaram redução da produtividade devido ao excesso de chuvas durante o ciclo, o que causou dificuldade no manejo das lavouras, gerou grãos avariados, além de perdas de áreas alagadas, dificuldade de acesso às áreas e no escoamento da colheita.

Por causa desses fatores é que, na realidade, o sojicultor sul-mato-grossense conseguiu colher uma média de 50,5 sacas em cada hectare plantado. Entre todos os municípios acompanhados pelo Siga MS, 16 apresentaram redução de produtividade de aproximadamente 10% em relação à sua área plantada (itens em vermelho da imagem).

Esses números são indicados na tabela (veja abaixo). A primeira coluna da imagem representa somente a soja colhida em cada município do Estado, sendo que esse número desconsidera as áreas não colhidas. Por outro lado, a segunda coluna da tabela representa o total plantado no município, ou seja, a área colhida, assim como as áreas não colhidas (perdidas) em decorrência dos fatores climáticos.

A Circular Técnica 154 ainda apresenta gráficos com a evolução semanal do plantio da soja e, posteriormente, da colheita do grão durante a safra 2015/2016, detalhando períodos e regiões de maior desenvolvimento dessas etapas.

Por fim, o levantamento ainda aponta que, em Mato Grosso do Sul, a média acumulada das precipitações nesta safra foi de aproximadamente 982,4 mm, cerca de 215 mm superior a safra 2014/2015. Houve maior índice pluviométrico na região sul do Estado, que variou de 250 mm a 1.700 mm e, para região centro/norte, o volume de precipitações foi inferior, variando entre 400 mm e 1.300 mm.

As informações completas da safra de soja na Circular Técnica. Para acesso na íntegra, basta realizar cadastro no link: http://www.sigaweb.org/ms/sistema/.

soja-safra-2015.2016-municipios

(Da Assessoria da Aprosoja/MS)