MS deve reduzir ICMS do leite para garantir preço ao produtor

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email
Share on print
Print
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email
Share on print

O Governo do Estado estuda a redução de ICMS do leite no período da estiagem para que a indústria possa melhorar o preço pago ao produtor. A medida foi anunciada pelo governador Reinaldo Azambuja durante cerimônia em alusão ao Dia Mundial do Leite, realizada na Assembleia Legislativa na manhã desta quarta-feira (01).

Durante a comemoração, onde lideranças do setor leiteiro do Estado e parlamentares brindaram com um copo de leite, o governador também informou que o Estado elabora iniciativa para melhorar a qualidade do rebanho, com a previsão de inseminar cinco mil matrizes para a criação de um banco de embriões melhorados, visando elevar a produção leiteira.

Governo do Estado estuda a redução de ICMS do leite no período da estiagem para que a indústria possa melhorar o preço pago ao produtor (Foto: divulgação)
Governo do Estado estuda a redução de ICMS do leite no período da estiagem para que a indústria possa melhorar o preço pago ao produtor (Foto: divulgação)

Azambuja também destacou ações que já foram implementadas, as quais terão impacto no fortalecimento da cadeia leiteira, como o programa Terra Boa, que concede incentivos fiscais para a recuperação de áreas degradadas e beneficia também a pecuária. “No momento de crise, é difícil fazer concessões, porém, estamos elaborando uma política efetiva, duradoura e de resultados para o incremento do leite na economia de Mato Grosso do Sul”, afirmou.

Ocupando hoje a 15º posição no ranking de produção nacional, Mato Grosso do Sul carece de informações precisas sobre o setor. Em seu pronunciamento, o coordenador da Câmara Setorial do Leite, Rodney Gadagnin, mencionou que o IBGE tem duas informações para a produção estadual de leite: uma pesquisa trimestral entre as indústrias que aponta a captação de 540 mil litros por dia e a Pesquisa Pecuária Municipal, indicando a produção de 1,4 milhão de litros diários.

“Como ter ações para o setor se não temos informações? Falta informação para o produtor tomar decisão”, reclamou o dirigente, destacando a demanda de incentivos para o produtor que se profissionaliza. “Precisamos encarar a produção de leite não só do ponto de vista social, mas como uma atividade econômica”, avaliou.

O secretário adjunto de Produção e Agricultura Familiar (Sepaf), Jerônimo Chaves, qualificou a atividade leiteria como fonte de subsistência para os 204 assentamentos do Estado. “A produção de leite é fonte de renda para a agricultura familiar”, afirmou.

Ainda durante o evento, o governador, o secretário de Estado de Governo e Gestão Estratégica (Segov) e o presidente da Assembleia, Junior Mochi,  receberam camiseta da Corrida do Leite. E a Assembleia Legislativa concedeu homenagem com diploma de mérito como reconhecimento pela dedicação ao crescimento do setor leiteiro do Estado para o produtor Antônio de Souza Salgueiro, ao industriário Edgar Rodrigues Pereira, ao consultor administrativo Pedro Guerbas e aos médicos veterinários Wilson Igi, presidente do Conseleite, e Guido José dos Reis (in memorian).