MS deve produzir 11,5 milhões de toneladas de soja na safra de 2020/2021

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email
Share on print
Print
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email
Share on print

De acordo com o Sistema de Informação Geográfica do Agronegócio (SIGA-MS), projeto da Secretaria de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar (Semagro), o Estado deve produzir 11,591 milhões de toneladas de soja na safra 2020/2021.

Os dados apontam ainda que Mato Grosso do Sul encerrou o plantio da soja em 2020 com 90% das lavouras em boas condições, 9% regular e 1% em condições ruins, ou seja, com alta infestação de pragas ou outros defeitos que causem perdas na qualidade do grão.

Com o fim do período para plantio em 31 de dezembro, agricultores precisam registrar na Agência Estadual de Defesa Sanitária, Animal e Vegetal (Iagro) a área plantada até o dia 10 de janeiro.

O boletim técnico 389/2021 do Siga-MS publicado nesta semana, avaliou as lavouras do Estado na última semana de dezembro e apontou que as chuvas nas últimas semanas do ano contribuíram com o desenvolvimento das lavouras.

Na região Norte do Estado, 99% da lavoura está em condições boas. O percentual diminui para 85% na região nordeste, onde 12% está regular, já o oeste, centro e sul mantém percentuais cima de 90%.

Na safra 2020/2021, Mato Grosso do Sul deve atingir produtividade 53 sc/ha. A área plantada está estimada em 3,645 milhões de hectares, aumento de 7,55% em relação a safra 2019/2020, que foi 3,389 milhões de hectares.

Até 21 de dezembro o Estado havia comercializado 56,50% da safra 2020/21, como mostrou o levantamento realizado pela Granos Corretora. Percentual na média do mesmo período da safra passada.

Contudo, o preço médio da saca de 60 kg de soja está 56% mais cara que no ano passado. Em 2020, terminou em R$ 111,77/sc contra R$ 71,63/sc em 2019.