Estado bate recorde na produção de açúcar

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email
Share on print
Print
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email
Share on print

Conforme levantamento da safra 2020/20201 feito pela Associação dos Produtores de Bioenergia de Mato Grosso do Sul (Biosul), o Estado produziu 1.847.534 toneladas de açúcar. Crescimento de 152,71% em relação à safra anterior, que teve 731.090 toneladas.

“Mato Grosso do Sul não tinha produzido esse número em sua historia. O mais próximo foi em 2017, com 1,15 milhão”, disse o presidente da Biosul, Roberto Hollanda Filho.

Ele enfatizou que, em comparação com a safra passada, 2019/2020 destinou 88% de cana para a produção de etanol, maior índice já registrado na história do Estado.

“Esse ano a gente voltou com 71,57% da cana destinado para o etanol, voltamos para a normalidade”.

A produção da cana-de-açúcar também teve aumento, mesmo que sutil. Com 48.803.899 toneladas, cresceu 2,71% em relação a safra anterior, que teve 47.514.974.

“Hora que se produz mais açúcar, etanol cai um pouco. Comparado ao consumo do Estado a gente produziu bastante. Somos o quarto maior estado em moagem de cana”.

O aumento na produção da cana fez o uso da bioenergia também aumentar em 0,91%. “Mais cana, mais energia”.

Em relação ao clima, os maiores picos de chuvas foram nos meses de agosto de 2020, e janeiro de 2021, o que beneficiou a colheita.

“Chuva geralmente atrapalha muito a colheita por causa do perfil de sol. Quando chove muito, não conseguem entrar na lavoura, então tem que ser tempo seco para começar as colheitas, a redução de chuva permitiu uma aceleração na colheita”, disse Hollanda Filho.

“Clima manda em tudo, clima é sempre superior. Esses dados servem para ver o que acontece, serve para entender o comportamento da safra que passou e para ver o que deve acontecer na próxima”, completou.