Embrapa realiza curso de hortaliças orgânicas em comunidade

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email
Share on print
Print
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email
Share on print

 

embrapa-curso_por_filipe_santos-4
Técnicos da Embrapa ministraram o curso na Fazenda Esperança. (Foto: Filipe Santos).

Na sexta-feira, 21 de outubro, os pesquisadores da Embrapa Agropecuária Oeste, Ivo de Sá Motta e Luís Antonio Aoki Inoue participaram de atividades na Fazenda da Esperança, em Rio Brilhante. Ali funciona uma casa de reabilitação que contribui com a recuperação de dependentes químicos. Atualmente, a Fazenda da Esperança conta com uma horta, sendo 50% manejada por sistema convencional e 50% por sistema orgânico, que tem a finalidade de contribuir com segurança alimentar e nutricional, servindo ainda como local para terapia ocupacional e contribuindo com a geração de renda.

Cerca de 15 pessoas, entre acolhidos e voluntários, participaram do Módulo 1, do curso Produção Agroecológica de Hortaliças, com duração de 6 horas.

Ivo conta que foram enfocados alguns aspectos básicos relacionados ao sistema de produção de hortaliças em sistema agroecológicos ou orgânicos. O pesquisador explica que foram apresentadas orientações iniciais relacionadas aos passos da transição agroecológica, período em que ocorre a conversão de produção convencional para orgânica de hortaliças. Temas relacionados ao preparo do solo, escolha das sementes, adubação, tratos culturais, espaçamento, época do plantio e particularidades de algumas espécies foram abordados no curso. Também realizamos uma aula prática de compostagem e de elaboração de caldas bordalesa e sulfocálcica, que servem para o controle alternativo de pragas e doenças”, disse Ivo. O pesquisador Luís Inoue esclareceu dúvidas sobre a implantação da piscicultura.

Luís Felipe Campos, é voluntário e que trabalha há quase dois anos na Fazenda da Esperança, para ele o curso foi muito útil para os acolhidos. “A capacitação trouxe muitas informações relevantes e gerou uma nova motivação para os acolhidos que se dedicam aos cuidados com a horta. Eles já estão colocando em prática o que aprenderam”, salientou. Ele contou que o objetivo é qualificar a produção de hortaliças, além de ampliar a produção.

Ele explicou ainda que os 40 acolhidos produzem compotas, doces e montam cestas com verduras e hortaliças para que seus familiares possam revender e obter recursos que contribuam para apoiar os trabalhos desenvolvidos na comunidade terapêutica.

A fazenda

A Fazenda da Esperança é o nome dado às comunidades terapêuticas que abrigam jovens dependentes químicos. O trabalho se desenvolve em diversos campos sociais, mas o principal é direcionado aos que desejam se ver livre das drogas e do álcool. Trata-se de uma comunidade terapêutica, vinculada a Igreja Católica, com mais de 30 anos de experiência na recuperação de jovens dependentes químicos. Avaliada como a maior obra da América Latina desenvolvendo essa atividade e ajudando milhares de famílias, atualmente se encontra em 15 países do ocidente ao oriente. Seu trabalho se baseia no tripé: convivência em família, trabalho como processo pedagógico e espiritualidade para encontrar um sentido de vida. Para obter mais informações, acesse http://www.fazenda.org.br/.