Demandas do setor sucroenergético no Estado são debatidas em reunião da Sulcanas

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email
Share on print
Print
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email
Share on print

 

sulcanas-reuniao-180316
O plantio da atual safra já começou nas regiões produtoras do Estado. (Foto: Famasul).

As principais demandas do setor sucroenergético e os desafios para a nova safra de cana-de-açúcar foram debatidos no encontro dos associados da Sulcanas (Associação dos Fornecedores de Cana-de-açúcar Sul-Mato-Grossense), realizado no dia 18, na sede do Sistema Famasul (Federação da Agricultura e Pecuária de MS), com a participação do presidente da instituição, Mauricio Saito.

Atualmente, a instituição conta com 31 associados, provenientes de Angélica, Caarapó, Deodápolis, Maracaju, Nova Alvorada do Sul e Novo Horizonte do Sul. A Sulcanas foi fundada em 2008 e tem como presidente, Luis Alberto Moraes Novas, diretor-tesoureiro do Sistema Famasul e presidente da Fundação MS.

“É importante os produtores rurais fornecedores estarem agregados à instituição, considerando que a Sulcanas tem um trabalho de relacionamento com as usinas, o que é fundamental para a formação de preços por intermédio do método Consecana, um conselho composto pelos representantes dos fornecedores e das indústrias”. A Sulcanas é filiada à Orplana – Organização de Plantadores de Cana da Região Centro-Sul do Brasil.

Em Mato Grosso do Sul, a previsão é que os fornecedores dessa cultura colham 3,1 milhões de toneladas de cana-de-açúcar na safra 2016/17, patamar que responde por aproximadamente 7% do volume colhido no Estado, de 45 milhões de toneladas.

“A recuperação do setor sucroenergético com a retomada da competitividade do etanol diante da gasolina e os ganhos de preços no mercado internacional da cana-de-açúcar”, salientou Novaes.  O plantio da atual safra já começou nas regiões produtoras do Estado e a previsão é que no mês de abril os trabalhos da colheita iniciem.