Concepción pode ser alternativa para escoar produção de MS

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email
Share on print
Print
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email
Share on print

 

exportacao-concepcion-150416
Reunião com as autoridades paraguaias foi realizada em Concepción. (Foto: Ministerio de Industria y Comercio do Paraguai).

Após as medidas que viabilizaram a abertura do terminal portuário de Porto Murtinho, implantadas em outubro do ano passado, o governo do Estado, por meio da Secretaria de Meio Ambiente e Desenvolvimento Econômico (Semade) avalia propostas para ampliar as alternativas de escoamento da produção de Mato Grosso do Sul.

Uma das estratégias prioritárias é a utilização plena do potencial oferecido pela Hidrovia do Rio Paraguai por se tratar do modal logístico mais competitivo existente no Estado. “A abertura do terminal de Porto Murtinho e a instituição de uma zona especial com benefícios para exportação e importação foi um dos passos que demos no sentido de potencializar a hidrovia”, afirma o secretário de Meio Ambiente e Desenvolvimento Econômico, Jaime Verruck.

Na sexta-feira (15), o secretário Jaime Verruck e o secretário de Infraestrutura, Marcelo Miglioli, estiveram na cidade de Concepción, no Paraguai, para tratar de questões de cooperação logística com o país vizinho que poderão facilitar o escoamento da produção de soja e milho do cone sul do Estado, numa alternativa competitiva aos portos de Santos (SP) e Paranaguá (PR). Jaime e Miglioli reuniram-se com o Ministro de Industria y Comercio do Paraguai, Gustavo Leite, o embaixador brasileiro no Paraguai, José Felicio e demais autoridades paraguaias.

A proposta feita pelo ministro Gustavo Leite foi a de que a soja e milho produzidos no cone sul do Estado sejam transportados por via rodoviária até o Porto de Concepción – pela Ruta 5, rodovia que liga Pero Juan Caballero e Concepción, com 210 km de extensão – para de lá ser escoada a outros destinos. A alternativa oferecida envolve ainda a facilitação (de aduana e condições rodoviárias) no tráfego de caminhões bitrem com os grãos. Todo esse cenário, no entanto, ainda precisa ser viabilizado e concretizado para que o terminal portuário de Concepción ofereça condições competitivas e favoráveis aos produtores sul-mato-grossenses.

Segundo Gustavo Leite, o governo paraguaio realizará nos próximos meses uma licitação internacional para escolha da empresa que deverá construir e administrar um novo porto em Concepción que tenha instalações mais modernas e condições efetivas de servir como rota alternativa de exportação para a produção de soja e milho de Mato Grosso do Sul. “Temos grandes empresas internacionais interessadas e acreditamos que a licitação seja concluída em 1º de agosto”, disse Leite.

Caso a proposta apresentada pelo governo paraguaio se concretize, “teremos efetivamente uma alternativa em relação a Paranaguá e Santos, principalmente para a soja do Cone Sul. Os produtores terão duas opções de utilização do Rio Paraguai: uma delas por meio de Porto Murtinho, no território brasileiro e a do Porto de Concepción, favorecendo a competitividade dos nossos produtos”, avalia o secretário Jaime Verruck.

Além dos secretários Jaime Verruck e Marcelo Miglioli, também estavam presentes o governador de Concepción, Luis Urbieta; o diretor da Administración Nacional de Navegación y Puertos (ANNP), Hector Duarte Chavez; o Vice-Ministro da Indústria, José Luis Rodríguez Tornaco; e ministro dos Transportes, Vice-Agustin Encina.