Com animais de R$ 2,5 mi, nelores entram na pista da Expoagro

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email
Share on print
Print
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email
Share on print

A 52ª Expoagro de Dourados, busca se consolidar no Centro-Oeste como uma das maiores. A cada ano, a feira inova para justamente se manter no topo. Exemplo disso é a participação da raça Nelore. Hoje, começam os julgamentos com a participação de 328 cabeças. Em 2015, houve 217. Essa edição, o número supera até mesmo Campo Grande. E é justamente a raça Nelore que abre um dos momentos alto da festa que é o julgamento. Esse ano, o animal líder do ranking nacional, Objuan, de 1.125 quilos e avaliado em R$ 2,5 milhões começa a busca por mais um título que já ultrapassa a 20 em todo o território nacional.

O número de argolas inscritas é muito comemorado pelos coordenadores da Expoagro. “Veja bem: estamos falando de Nelore. Não nos referimos a outras raças. Esse número para a Expoagro é acima do esperado e ficamos lisonjeados com a confiança dos produtores com a exposição”, disse Ramão Pedroso, organizador do julgamento.

Ramão Pedroso ao lado do animal Objuan, avaliado em R$ 2,5 milhões e o primeiro do ranking nacional Nelore (Foto:Eder Gonçalves)
Ramão Pedroso ao lado do animal Objuan, avaliado em R$ 2,5 milhões e o primeiro do ranking nacional Nelore (Foto:Eder Gonçalves)

Se essa quantidade de cabeças surpreendeu, Ramão não esconde a satisfação de ter na Expoagro o campeão do ‘Oscar’ do Nelore, pesando 1.125 quilos e avaliado em R$ 2,5 milhão: Objuan, de propriedade de Marcos e Marcio Rezende de Andrade da Jatobá Agropecuária, de Itaquirai. “Esse animal está no topo do ranking nacional. Para nós, é um luxo ele estar aqui”, comemora Pedroso. Com 30 meses, Objuan vem de pais campeões e destaques em feiras agropecuárias.

‘Não tem como dimensionar a importância desse animal na Expoagro. Ele é para ser admirado pela sua magnitude e exuberância”, observou Pedroso destacando os mais de 20 títulos no país. Porém, temos que esperar a avaliação dos juízes”, disse Pedroso.

 Na visão de Pedroso, a vinda dessas cabeças deixa claro duas situações. A primeira é em relação crise muito falada nos últimos meses que na visão dele, no setor agropecuário não existe. E o outro fator é a confiança dos criadores com a Expoagro. “Temos uma excelente estrutura. Isso gera confiança”, finalizou.

Na avaliação de Ramão, expositores e tratadores, a Expoagro tem uma estrutura respeitada e que valoriza todos. Por essa razão é uma feira que muitos querem participar. Ramão Pedroso valoriza uma das conquistas que buscava para o animal e também o tratador, que era a área do banhador, ou seja, onde os animais tomam banho e que ficava 300 metros longe dos pavilhões.

“Um animal avaliado em milhões de Reais e onde é tratado muito bem, não pode estressar. Tem que chegar no julgamento tranquilo. A nossa preocupação sempre foi essa, fazer com que esse banhador ficasse mais perto dos pavilhões de argola. Esse ano, está apenas a 10 metros do último pavilhão e 30 metros do primeiro. Um grande avanço”, observou Pedroso.