Coamo projeta MS nos mercados nacional e internacional

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email
Share on print
Print
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email
Share on print

coamo 1

Complexo industrial da Coamo foi inaugurado na manhã desta segunda-feira (25), às margens da BR-163, entre Dourados e Caarapó, região sul do Estado. A planta conta com unidades para beneficiamento de soja a partir da produção de farelo e óleo.

Em seu discurso, o presidente e um dos fundadores da Coamo, José Aroldo Gallassini, destacou o apoio do governo estadual para a instalação da indústria e citou a “política desenvolvimentista” do Executivo.

Com intermédio do governo estadual, a cooperativa havia sido contemplada com R$ 144 milhões pelo FCO (Fundo Constitucional de Financiamento do Centro-Oeste), recurso liberado para aquisição de equipamentos.

“As indústrias vão ampliar a participação da Coamo no mercado nacional de óleo de soja e internacional com farelo de soja. O papel da Coamo é colocar nosso País no posto que merece na produção mundial de alimentos”, disse Gallassini.

O governador Reinaldo Azambuja (PSDB) também destacou que para ele, “Mato Grosso do Sul” está no caminho certo”. “Quando o investidor investe em algum lugar é porque ele confia e eu tenho certeza que essa parceria com a Coamo, além dos empregos gerados, vai agregar valor à matéria-prima [soja]”.

O chefe do Executivo disse ainda que o cadeamento industrial das produções locais têm sido a dinâmica estimulada pelo governo no Estado. “Não adianta você só fazer crescer a produção primária e você não agregar valor a esse produto. Então, o farelo vai engordar o suíno, o bovino, o frango e nos vamos agregando na cadeia como um todo. Isso é uma política que dá certo”.

Presente também em Paraná e Santa Catarina, a Coamo está em nove municípios sul-mato-grossenses, com 14 pontos de recebimento de soja.