Boi, frango e ferro seguram a balança comercial do Estado em janeiro

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email
Share on print
Print
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email
Share on print

carne

O boi, o frango e o minério de ferro seguraram a balança comercial de MS em janeiro. As exportações em janeiro somaram US$ 344,9 milhões, enquanto as importações ficaram em US$ 197 milhões, queda de 4,5%. As exportações de carne bovina do Estado cresceram 29,8% no mês passado em relação ao mesmo período do ano passado e totalizaram US$ 63,7 milhões. O grupo ajudou a equilibrar o resultado da balança comercial do primeiro mês do ano que teve queda de 19,10% no superávit que ficou em US$ 147 milhões.

Os dados são do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior compilados na Carta de Conjuntura da Semagro (Secretaria de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar).

O crescimento nas vendas de carne foi puxado pelo avanço da demanda internacional, que refletiu no preço da arroba e ao consumidor, que viu o valor do churrasco chegar as alturas no final do ano. O MAPA (Ministério da Agricultura e Pecuária) continua com processo de credenciamento de frigoríficos junto ao Governo Chinês, que deve sustentar a demanda durante o ano.

Em relação a carne de aves, as exportações cresceram 58% em janeiro, com US$ 22,5 milhões.
A celulose se manteve como o principal produto exportado pelo Estado, com elevação no total exportado, atingindo 468 mil toneladas em janeiro de 2020 e rendendo US$ 180,3 milhões. Diferente das principais commodities da balança Comercial, o desempenho da celulose não é sazonal, mantendo estabilidade de exportação durante todo o ano.

Os resultados com o milho, por exemplo, dependem de safra, variando o volume exportado conforme o mês. Em janeiro as exportações caíram 52%, reflexo da falta de milho no mercado. A partir de fevereiro as exportações de grãos se voltam para a soja, que já está em processo de colheita no Estado.

Minério – A venda de minério de ferro ao mercado externo cresceu 22%, com US$ 9,7 milhões e foi uma das grandes surpresas do mês.. “Mato Grosso do Sul inicia 2020 focado nas pautas tradicionais de produtos e é importante destacar que todo o investimento que tem sido feito na industrialização e geração de empregos no Estado, visa a exportação de produtos processados, que agregam valor aos nossos produtos”, afirma o titular da Semagro, secretário Jaime Verruck.
Outra boa notícia de janeiro é o aumento de 23% nas importações de gás natural da Bolívia, para atender a demanda das térmicas movidas a gás. Bom resultado para a balança comercial e para as finanças do Estado, que arrecada ICMS sobre a importação. Nos últimos meses do ano passado a queda mensal na receita chegou a R$ 40 milhões.

Os países asiáticos continuam sendo os maiores parceiros comerciais do Mato Grosso do Sul, sendo a China o principal comprador de produtos com aumento de 44,2% em relação ao ano passado, Hong Kong com crescimento de 56,6% e Japão que amentou em 214% a compra de produtos estaduais.