Alta do dólar ajuda e saldo das exportações do Estado cresce 17%

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email
Share on print
Print
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email
Share on print

As exportações de Mato Grosso do Sul seguem crescentes, com o resultado de faturamento influenciado pelo dólar alto. Entre janeiro e maio, a balança comercial registrou saldo de US$ 1.867 bilhão, valor 17,3% acima do resultado do mesmo período do ano passado. Somente as exportações somaram US$ 2.801 bilhões nos primeiros cinco meses do ano.

Os dados são da Carta de Conjuntura do Setor Externo, elaborada pela Coordenadoria de Estatística da Semagro (Secretaria de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar). “A taxa de câmbio em alta permite uma excelente remuneração às exportações de Mato Grosso do Sul, que contribui para a venda externa brasileira de commodities”, explica o secretário Jaime Verruck.

Dos 12 itens exportados elencados na carta de conjuntura, apenas um apresentou queda no faturamento entre janeiro e maio. A celulose, segundo produto mais exportado pelo Estado, registrou retração de 19% no faturamento com vendas externas no período, isso devido ao preço pago pelo produto no mercado externo.

Destaque das exportações para a soja em grão que desponta como principal produto exportado, com participação de 39,52% da balança comercial e crescimento de 21,08% no faturamento do período comparado a 2020. O faturamento de carne bovina cresceu 13,3%, de carne de aves 10% e de óleos e gorduras 57%.

Destaque também para o açúcar e o milho em grão, que viram a renda com as exportações crescerem 126% e 194%, respectivamente. “Vemos o mercado externo aquecido para muitos produtos. Isso mostra que Mato Grosso do Sul é competitivo e está ampliando seus mercados”, destaca o secretário Jaime Verruck, titular da Semagro.

A China segue como principal parceiro comercial de Mato Grosso do Sul. “O mercado da China representa, nesse momento, 50% das nossas exportações, seguido pela Argentina, com 5,2%, que reaparece com a retomada do minério e os Estados Unidos com 4,7% se destacando nas exportações de carne”, finalizou Jaime Verruck.

O principal município exportador em janeiro a abril de 2021 foi Três Lagoas, com cerca de 37% dos valores exportados, com composição baseada sobretudo nas exportações na indústria de Papel e Celulose. As exportações de soja fizeram com que os municípios de Maracajú e Caarapó aumentassem em mais de 100% as suas exportações.