Pequeno produtor movimenta R$ 204 milhões em MS, aponta estudo

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email
Share on print
Print
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email
Share on print

 

Dourados lidera a atividade no Estado,  com 14.982 pessoas que vivem no campo - (Foto: Divulgação)
Dourados lidera a atividade no Estado, com 14.982 pessoas que vivem no campo. (Foto: Divulgação).

Se o que engorda a criação é o olho do dono, muitos agricultores seguem bem essa premissa em Mato Grosso do Sul. Isso, porque mesmo cautelosos diante da instabilidade econômica do País, a agricultura familiar como um todo mantém um bom ritmo de trabalho e, só na última safra, injetou R$ 224.308, 00 milhões em crédito rural no Estado, por meio do Pronaf – Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar.

Do valor total aplicado pelos 79 municípios sul-mato-grossense, R$ 118 milhões foram para custeio (aquisição de sementes, medicamentos e ração para animais, etc), e R$ 105 milhões investimentos (melhoria direta nas propriedades – recuperação de pastagens, compra de animais ou equipamentos, construção ou reforma de armazéns, por exemplo).

Grande parte do recurso captado deve-se a forte aliança entre os pequenos produtores rurais com a Agraer (Agência de Desenvolvimento Agrário e Extensão Rural), instituição responsável pela elaboração dos projetos de crédito rural do Estado.

O diretor-presidente da Agraer, Enelvo Felini, ressalta a importância do Pronaf como sendo um instrumento essencial na expansão das atividades agrícolas e pecuárias, com condições de prazos, juros e carências que caibam no bolso dos produtores rurais.   “Além da formulação do documento, a Agraer oferece serviços de Ater [Assistência Técnica e Extensão Rural] para os produtores. Tudo para que eles possam aplicar o dinheiro de maneira correta e que traga um saldo positivo na produção. É esse saldo que vai dar renda as famílias rurais e condições para que o financiamento seja honrado no banco, evitando as inadimplências”, afirma.

O balanço definitivo do crédito rural aplicado em Mato Grosso do Sul, safra 2015/2016, só sairá no final deste mês. Mas, pelo que tudo indica, conforme os dados do Banco Central (BCB) – Departamento de Regulação, Supervisão e Controle das Operações do Crédito Rural e Proagro (Serop), os cinco municípios que lideram o ranking no Estado são: Dourados (R$ 25 milhões), Fátima do Sul (R$ 9 milhões), Itaporã (R$ 8 milhões), Deodápolis (R$ 7,885 milhões) e Ivinhema (R$ 7,750 milhões).

Uma listagem que chama a atenção pela presença de municípios pequenos em posição de destaque, como é o caso de Fátima do Sul que, até o momento, ultrapassou Sidrolândia, considerada a cidade com o maior número de assentamentos do Estado, 26 comunidades ao todo.

A razão dessa mudança se dá em chácaras como a do senhor Nivaldo Lopes. Há 12 anos tirando o sustento da própria terra, o agricultor conta com orgulho as conquistas alcançadas com o crédito rural. “Já é o quarto Pronaf que acesso. O último, eu comprei três vaquinhas para melhorar o rebanho. Se Fátima do Sul está se destacando, acredito que é porque o povo está acreditando no programa, crescendo e conseguindo pagar”, afirma.

Assistido pela Agraer e com acesso ao Pronaf, Nivaldo e a esposa, Mariana, educam os dois filhos adolescentes, José Vitor e Maria Letícia, com a renda que tiram da produção de leite e do plantio de soja e de milho.

“Dedico 4,2 hectares para o gado e 7,26 hectares para os grãos. Produzimos queijo e mexemos um pouco com mel. Com nosso trabalho e assistência já conquistamos carpineiras, ordenhadeiras e um resfriador. O juro do Pronaf é baixinho e isso ajuda. Se fosse pegar direto de um banco seria alto e juntar dinheiro para pagar três mil ou seis em animais, por exemplo, pesa no orçamento”, justifica.

Já Dourados lidera o pódio há pelo menos 12 anos. Com a segunda maior população do Estado, a cidade conta com cerca de 212.870 habitantes, destes 14.982 vivem no campo. “Além do aspecto populacional, acredito que o motivo de Dourados estar sempre entre os primeiros do ranking é devido ao serviço de  assistência técnica efetiva e permanente junto aos produtores rurais e suas famílias. A qualidade  e o bom atendimento do serviço prestado auxilia nesta troca de informações com os produtores”, avalia o coordenador municipal da Agraer de Dourados, Mauro Pelegrini.

O Pronaf faz parte de recursos viabilizados pelo Plano Safra da Agricultura Familiar. O lançamento é feito anualmente, no mês de julho, pelo Governo Federal. No dia 1º de julho, foi anunciada a liberação de R$ 241 milhões para a agricultura familiar. Valor esse que está incluso no montante de R$ 5,19 bilhões do Plano Safra 2016/17. “Dos R$ 282 milhões liberados para Mato Grosso do Sul, R$ 224 milhões foram movimentados de fato no Estado. Este ano, a União reduziu os investimentos, creio que pelo cenário econômico atual. Contudo, queremos movimentar a maior quantia possível do que foi aprovada”, declara Felini.