Estado habilita mais sete frigoríficos para exportar para o Egito e China

A abertura para exportação de carne bovina e aves para o Egito e a China ajuda a manter a produtividade nas indústrias frigoríficas de Mato Grosso do Sul. A Organização Geral de Serviços Veterinários do Egito habilitou, a partir de 31 de março, 66 novos estabelecimentos brasileiros para exportarem carne bovina e de aves para o país do Oriente Médio. A relação contempla 39 frigoríficos de bovinos e 27 de aves, sendo 7 em Mato Grosso do Sul. 

Do total de plantas habilitadas no estado, 5 são de bovinos, nos municípios de Anastácio, Cassilândia, Iguatemi, Rochedo e São Gabriel do Oeste, e 2 de aves, em Caarapó e Itaquirai.
De acordo com dados do mapa (Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento), a Região Centro-Oeste foi a que obteve as maiores habilitações, com total de 20 plantas frigoríficas, sendo 16 de bovinos e 4 de aves.

O Egito é um importante comprador de proteína brasileira. No ano passado, foi o terceiro maior destino da nossa carne, sendo que importou de carne bovina 165,5 mil toneladas, totalizando US$ 48 milhões, e de aves 51 mil toneladas, com receita de US$67,9 milhões.

“Com a habilitação de novas plantas, aumentam as possibilidades de crescimento das exportações para esse país, o que aquece a produção no Mato Grosso do Sul. Num momento de contenção no mercado interno, a consolidação de mercados externos será fator importante para o equilíbrio do setor de proteínas no estado”, comenta a analista  técnica do Sistema Famasul, Fernanda de Oliveira.

Recentemente a China liberou também a habilitação da exportação de aves pela JBS de Dourados