Reinaldo quer mudar Fundersul para aumentar arrecadação

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email
Share on print
Print
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email
Share on print

fudersul

Criado há 20 anos, o Fundersul (Fundo de Desenvolvimento do Sistema Rodoviário) também faz parte das propostas de ajuste fiscal a serem encaminhadas para votação da Assembleia Legislativa, em mensagem que o governador Reinaldo Azambuja encaminhou hoje. A proposta é de ampliação em até 50% da contribuição do setor rural para aumentar a receita do Fundo e assegurar investimentos maiores em rodovias e áreas urbanas.

As mudanças previstas incidem sobre a contribuição dada pela pecuária e também pela agricultura. O fundo, com previsão de receita em R$ 380 milhões em 2019, é formado por valores cobrado a cada bovino comercializado no Estado e também a cada tonelada de produto agrícola, com destaque para soja, milho e cana-de-açúcar, as principais lavouras no Estado.

Para o gado, a principal alteração é a criação de quatro faixas de cobrança. Hoje, são duas, começando em 29% do valor da Uferms (Unidade Fiscal Estadual de Referência de Mato Grosso do Sul), cotada a R$ 28,77. Para a soja, milho e cana, aumenta o valor por tonelada. Atualmente, ele parte de 2,28% da cotação da Uferms e vai até 36,60%.

SANIDADE

 Conforme o secretário de Fazenda, Felipe Mattos, informou ao Campo Grande News, o projeto que vai para a Assembleia propõe ainda investimento de parte dos recursos pagos pelos produtores na formação de fundo privado de defesa sanitária animal e vegetal.

Esse organismo faz parte de agenda federal para a conquista, pelo Brasil, do status de pais livre da febre aftosa sem vacinação. A sugestão é de criar o fundo e também um mecanismo de fiscalização pública da aplicação dos recursos.

Felipe Mattos explicou que o poder público estadual já tem um fundo com esse fim, mas com uma iniciativa privada, o combate à doença fica mais forte pois “é possível agir com mais rapidez em casos emergenciais”.

Do total arrecadado pelo Fundersul, 25% vão para as prefeituras. O restante vai para obras de pavimentação asfáltica, ações de recuperação e vias públicas e drenagem urbana e também  recuperação e manutenção de rodovias.